Cientistas espanhóis desenvolvem vacina contra Alzheimer

Existem cerca de 36 milhões de doentes de Alzheimer em todo o mundo

17 de janeiro de 2013 - 17h00

Um grupo de cientistas espanhóis desenvolveu a primeira vacina contra o Alzheimer, capaz de evitar a doença ou reverter as suas manifestações quando já se desenvolveu, mostram ensaios realizados em ratinhos transgénicos, foi hoje divulgado.

Ramón Cacabelos, que dirige aquele grupo de cientistas do Centro Médico EuroEspes da Corunha, apresentou hoje, em conferência de imprensa, a vacina EB-101 e a documentação científica que permitiu a obtenção de uma patente para o seu fabrico nos Estados Unidos, segundo a agência noticiosa espanhola EFE.

Os cientistas estão a negociar com várias multinacionais daquele país a realização dos estudos clínicos em humanos, que podem começar dentro de três ou quatro meses, e poderão durar de seis a oito anos.

Tendo em conta os ensaios em ratinhos, os investigadores pensam que o tratamento poderá duplicar a esperança de vida dos doentes de Alzheimer, que atualmente é de três a oito anos.
Os cientistas consideram, no entanto, que o mais importante será melhorar as condições de vida dos doentes.

Existem cerca de 36 milhões de doentes de Alzheimer em todo o mundo, seis milhões dos quais vivem na Europa, prevendo-se que o seu número atinja os 66 milhões a nível mundial, em 2030.

Lusa

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários