Chineses e europeus debatem em Portugal avanços nos biomateriais para medicina regenerativa

Investigadores chineses e europeus vão reunir-se entre domingo e quarta-feira no Porto para debaterem novas estratégias em medicina regenerativa, nomeadamente os biomateriais para a regeneração óssea e os biomateriais para tratamento/prevenção de infeções associadas à utilização de dispositivos médicos.

Ana Paula Pêgo, investigadora da instituição de acolhimento – o i3S/INEB (Instituto de Investigação e Inovação em Saúde, Universidade do Porto/ Instituto de Engenharia Biomédica, disse hoje que será “a oportunidade perfeita para promover e estimular o crescimento das comunidades chinesas e europeias em ciências dos biomateriais, que tem como objetivo comum a melhoria da qualidade de vida dos pacientes que utilizam dispositivos médicos”.

O encontro CESB é organizado alternadamente na China e na Europa e será realizado pela primeira vez em Portugal, com a participação de cerca de 200 investigadores da área dos Biomateriais.

Especialmente dedicado à promoção da interação entre grupos/investigadores e profissionais da área dos biomateriais na China e na Europa, o destaque da organização portuguesa vai também para a sessão «Technology Transfer and Translation: China-Europe Opportunities» e para as várias apresentações que decorrem das colaborações China-Europa e China-Portugal. Estas últimas no âmbito do Portugal-China Joint Innovation Centre for Advanced Materials.

O CESB2017 “incide numa área muito relevante para a colaboração entre Portugal e a China, tal como se tem vindo a refletir no lançamento de programas de cooperação entre a Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) e o Departamento de Cooperação Internacional do Ministério da Ciência e Tecnologia da Republica Popular da China (MOST): Portugal-China Joint Innovation Centre for Advanced Materials”, acrescenta a organização em comunicado.

Na cerimónia de abertura, agendada para domingo às 17:30, estarão presentes o embaixador da China em Portugal, Cai Run, e o reitor da Universidade do Porto, Sebastião Feyo de Azevedo.

As frases mais ridículas ouvidas pelos médicos

artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários