China proíbe membros do Governo de fumar em público

Em 10 anos, o consumo de tabaco na China aumento 50%

2 de janeiro de 2013 - 10h58

A China decidiu proibir os membros do governo de fumarem em locais públicos, informou a agência oficial de notícias Xinhua. A medida tem como objetivo dar um exemplo à população, já que o país asiático possui o maior número de fumadores de todo mundo, cerca de 300 milhões.

No comunicado, os dirigentes do Partido Comunista chinês destacam que o hábito de fumar em serviço “não só prejudica o ambiente e a saúde pública, mas também mancha a imagem do partido”.

De acordo com a Xinhua, os membros do Governo não poderão fumar em escolas, hospitais, eventos desportivos e transportes públicos. Também está proibido oferecer cigarros durante o expediente e usar dinheiro público para comprar o tabaco.

Não há uma lei nacional que proíba o fumo em locais públicos fechados, mas o Governo já tentou proibir a prática no passado. Em 2011, o Ministério da Saúde formulou as linhas gerais para a proibição de tabaco e fumo de tabaco em locais como hotéis e restaurantes. Porém, nunca chegaram a ser aplicadas.

As estatísticas oficiais mostram que o cigarro é uma das maiores ameaças à saúde da população chinesa. Em 2012, em comparação com 2002, a venda de tabaco aumentou em 50%.

SAPO Saúde com agências

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários