Cheques-dentista voltam a ser emitidos depois de suspensão temporária

DGS propôs, em outubro, a suspensão temporária de cheques para as crianças em idade escolar

A distribuição de cheques-dentista voltou hoje à normalidade, depois de ter estado suspensa cerca de dois meses, confirmou o bastonário da Ordem dos Dentistas, congratulando-se com a verba de 16 milhões de euros prevista para o programa.

“Hoje mesmo às 00.00 foi dada uma indicação para recordar que a emissão de cheques-dentista retoma o seu curso normal, conforme a Direção-geral da Saúde (DGS) já tinha informado”, declarou Orlando Monteiro da Silva, bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas em declarações à agência Lusa.

Por “razões de rigor de gestão orçamental”, a DGS propôs, em finais de outubro, a suspensão temporária da emissão de cheques-dentista para as crianças em idade escolar até 31 de dezembro de 2012, mantendo-se inalterado o processo de emissão de cheques para os outros grupos alvo do programa (grávidas, idosos, doentes com VIH/sida).

“Está tudo ocorrer consoante o previsto”, confirmou o bastonário, adiantando que centros de saúde, escolas e administrações regionais de saúde já foram avisados da regularização da situação.

Orlando Monteiro da Silva mostrou-se ainda satisfeito com a verba atribuída ao programa de saúde oral no Orçamento do Estado deste ano, que é pelo menos igual à do ano de 2012 (16 milhões de euros), como já tinha anunciado o Ministério da Saúde.

Contudo, o bastonário dos Dentistas aguarda, “com expectativa” o detalhe do orçamento do ministério para saber se há um reforço desta verba para incluir no programa o rastreio ao cancro oral.

Em 2012 foram emitidos cheques-dentista que abrangeram cerca de 400 mil utentes, dos quais 300 mil correspondem a crianças em idade escolar e 100 mil a grávidas, idosos com complemento solidário e doentes com HIV/Sida.

02 de janeiro de 2013

@Lusa

Comentários