Cerca de 44 mil portugueses ficaram sem médico em dois meses

Entre 31 de maio de 31 de julho cerca de 44 mil utentes ficaram sem médico de família, fruto da saída de 22 clínicos do Serviço Nacional de Saúde (SNS).
créditos: AFP PHOTO / FRED DUFOUR

A notícia é avançada esta sexta-feira pelo Diário de Notícias.

Em abril, cerca de 390 novos médicos de família terminaram a especialidade, mas ainda não foram colocados porque o concurso está atrasado, escreve o referido jornal.

A Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS) justifica-se com um atraso burocrático, embora o presidente da Associação Medicina Geral e Familiar atribua as culpas ao Ministério das Finanças, que ainda não autorizou as contratações.

Esta sexta-feira, realiza-se mais uma reunião entre sindicatos médicos e Ministério da Saúde. A tensão é grande e poderá terminar com uma nova greve geral de médicos, algo que o bastonário da Ordem dos Médicos já admitiu vir a apoiar.

Segundo dados do Portal do SNS, referentes a 31 de julho, faltam nos centros de saúde 516 médicos de família e há 902 mil utentes inscritos sem clínico atribuído.

No final do ano passado eram 769 mil, ficando pela primeira abaixo de um milhão.

Veja ainda: As frases mais ridículas ouvidas pelos médicos

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários