Casos de gripe A vão aumentar, mas estirpe é semelhante às restantes

Secretário da Saúde dos Açores apela à vacinação dos grupos de risco
1 de março de 2013 - 14h47



O secretário da Saúde dos Açores confirmou esta sexta-feira a deteção de 37 casos de gripe A na ilha Terceira e disse que deverão aumentar nas próximas semanas, mas sublinhou que esta estirpe é semelhante às restantes que estão em circulação.



“Não há necessidade efetiva de identificar esta estirpe específica do vírus da gripe, porque se enquadra nas restantes oito estirpes que estão em circulação nesta época gripal”, frisou, acrescentando que se comprovou nos últimos dois anos que o vírus H1N1 tem neste momento “uma taxa de morbidade e mortalidade comparada àquilo que são os restantes vírus em circulação nesta altura do ano”.



Luís Cabral falava aos jornalistas à margem das comemorações do Dia Mundial da Proteção Civil, em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira.



O secretário regional da Saúde confirmou que foram detetados 37 casos de gripe A no Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira, mas salientou que de acordo com os dados estatísticos da Direção Regional de Saúde “ainda não se verificaram casos graves”, tendo em conta que as unidades de saúde sentinela na região ainda não os detetaram.



Segundo Luís Cabral, a Direção Geral de Saúde seleciona, de forma aleatória e representativa, várias unidades de saúde nacionais para representarem uma amostra e é pedido a alguns médicos sentinela que façam colheitas de forma esporádica, “por uma questão meramente estatística”.



Este procedimento tem também como objetivo, segundo o secretário, identificar os vírus existentes para desenvolver as vacinas contra a gripe do próximo ano, sendo que as vacinas que estão atualmente no mercado já incluem a estirpe do H1N1.



Luís Cabral considerou que haverá uma “tendência grande” para que o número de casos de gripe A aumente nas próximas semanas, por isso apela à “vacinação dos grupos de risco” e ao reforço dos cuidados de higiene e aproximação.



“Deve haver uma contenção relativamente ao uso de lenços, aos espirros, ao lavar das mãos, aos cumprimentos pessoais nesta matéria, à restrição junto dos familiares, para que não se propague”, frisou, acrescentando que a Linha de Saúde continua a fazer um acompanhamento da gripe A, no esclarecimento de dúvidas dos utentes.



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários