Carne de cavalo era inferior a 5% do total dos produtos embalados, conclui Comissão Europeia

Várias toneladas de embalagens foram recolhidas e analisadas pelas autoridades europeias
16 de abril de 2013 - 16h14



As autoridades europeias detetaram menos de 5% de carne de cavalo na análise de milhares de produtos, anunciou hoje a instituição europeia. As autoridades comunitárias pretendem alargar a investigação e continuar os testes.



O anúncio hoje foi feito em comunicado pela Comissão Europeia.



No dia 15 de fevereiro, a União Europeia lançou um plano que conduziu a 2.250 testes de DNA a vários tipos de pratos de carne processada. A comissão deu ordem ainda para analisar as carcaças dos cavalos para se certificar da não presença de fenilbutazona, um anti-inflamatório usado nos animais que é altamente nocivo para o ser humano.



As autoridades sanitárias europeias pretendem avançar com as análises e executar entre 10 a 50 testes em cada um dos países, em função da massa populacional.



O escândalo da carne de cavalo, que atingiu vários países europeus, começou em meados de janeiro quando foram encontrados na Irlanda e no Reino Unido hambúrgueres etiquetados como sendo de carne bovina, mas que continham carne de cavalo.



SAPO Saúde com AFP
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários