Canetas de adrenalina esgotadas voltam às farmácias

Associação avisou que ruptura do stock nacional põe vidas em risco
27 de março de 2014 - 14h33



A Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed) autorizou, a título excepcional, a importação de canetas de adrenalina que estão esgotadas nas farmácias nacionais. A disponibilização de embalagens de Anapen (0,15 mg e 0,30 mg) vai começar quinta-feira, “pelo que todas as farmácias que delas necessitem devem solicitá-las aos distribuidores habituais”, informa o Infarmed, numa nota.



Esta autorização de importação para utilização especial foi divulgada depois de a Associação Portuguesa de Alergias e Intolerâncias Alimentares (Alimenta) ter avisado que a “ruptura total de stock de canetas de adrenalina a nível nacional põe vidas em risco”.



O distribuidor exclusivo destes dispositivos usados em caso de reação alérgica grave confirma que o stock da única caneta de adrenalina vendida em Portugal está esgotado e que a previsão de regularização do stock é de "duas semanas", alertou a associação em comunicado divulgado na quarta-feira.



“Esta situação não é aceitável dada a dependência deste fármaco para a sobrevivência de crianças, jovens e adultos com alergias alimentares”, critica a direção da Alimenta, que lembra que, para quem sofre deste problema, “a caneta de adrenalina pode ser a diferença entre sobreviver ou não a um choque anafiláctico”.



O Infarmed explica autorizou a importação a título excepcional destes medicamentos para “minimizar o impacto da falta de acesso” a estes fármacos que “não dispõem de alternativa terapêutica no mercado”.



O medicamento é comparticipado pelo Estado em apenas 37%.



SAPO Saúde
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários