Cancro da mama: nova associação pretende chegar aos mil associados até ao 1º aniversário

Para já, organização conta com 100 associadas
A Associação para a Divulgação e Investigação do Cancro da Mama (ABC) foi oficialmente apresentada no Dia Nacional de Prevenção do Cancro da Mama. 
Em entrevista ao Hospital do Futuro (HdF), a presidente da ABC, Ivone Patrão, contou que começou com um grupo multiprofissional e mulheres sobreviventes de cancro da mama e, atualmente, já tem cerca de uma centena de associadas. Chegar aos mil é uma meta a atingir até ao primeiro aniversário.
HdF: Com que objetivo foi criada a associação Associação para a Divulgação e Investigação do Cancro da Mama (ABC)?
Ivone Patrão (IP): Para dar resposta à necessidade de informação científica, de forma rigorosa e acessível. O nosso público-alvo é a comunidade em geral, onde se incluem as mulheres com cancro da mama, seus familiares e amigos, profissionais de saúde e também outras associações. Queremos ser uma mais-valia na divulgação de informação, que ajude na área do cancro da mama. Até porque, muitas vezes, a informação online está dispersa e tem algumas incoerências, nesse sentido, pretendemos dar uma resposta que condense todos os aspetos que envolvam esta patologia oncológica.
HdF:  Quais os serviços que oferece às associadas?
IP: Esclarecimento de dúvidas e encaminhamento para consultores de diversas áreas, desde a área clínica à área social e jurídica.
HdF: O que é que a ABC apresenta de diferente em relação a outras associações ligadas à mesma causa?
IP: A ABC tem um papel ativo na investigação científica em Portugal na área do cancro da mama, através da divulgação de estudos que estão a ser realizados. Também está envolvida em projetos e no trabalho de pesquisa e revisão da literatura constante, de forma a divulgar a investigação nacional e internacional. A linguagem utilizada será sempre uma tradução da linguagem científica, para que seja facilmente compreendida por todos.
HdF: As novas tecnologias estão incluídas na diferenciação?
IP: O breast cancer spa será um projeto pioneiro em Portugal e vai cumprir inicialmente o objetivo que a ABC se propõe. Trata-se de uma aplicação para smartphones com todas as perguntas e respostas sobre o cancro da mama.
HdF: Poderia mencionar as perspetivas para este primeiro ano?
IP: Temos três objetivos para o próximo ano: atingir 1000 associados; ser uma referência a nível nacional na informação e investigação do cancro da mama; apostar na divulgação de informação em áreas de maior necessidade - psicossocial e intervenção terapêutica. 

Por Sofia Filipe

Comentários