Cancelado concurso público de ampliação das urgências do Hospital do Funchal

Será lançado um novo concurso depois de detetados "requisitos exagerados"
14 de julho de 2014 - 14h33



O diretor clínico do Hospital Dr. Nélio Mendonça (Funchal), Miguel Ferreira, disse hoje que o concurso público, no valor de 21 milhões de euros, para a remodelação e ampliação da urgência foi cancelado devido aos requisitos "exagerados".



O diretor clínico afirmou que, no concurso público, na avaliação dos critérios colocados, "havia alguns requisitos exagerados em relação ao tipo de obra".



Nesse sentido, explicou que tiveram que alterar esses requisitos e “deixá-los cair”, de acordo com alguns protestos de algumas empresas", acrescentando que foi anulado o concurso e feito um novo caderno de encargos, como notícia o Diário de Noticias da Madeira, na sua edição de hoje.



"Nós fizemos um novo caderno de encargos que foi, de acordo com as indicações superiores, à vice-presidência, que tutela a área, para analisar se tecnicamente está de acordo com os critérios a adotar e, se a vice-presidência concordar com estes critérios, relançamos a obra, após os vistos adequados das Secretarias das Finanças e dos Assuntos Sociais", disse Miguel Ferreira.



Após esta fase, será lançado um novo concurso, pelo mesmo valor porque “é o que é necessário” para ampliar as estruturas.



"Nós vamos entrar numa zona que é essencial - o Bloco Operatório e a Urgência - por isso temos de garantir que não causará o mínimo de incómodo aos utentes", explicou.



Miguel Ferreira explicou ainda que os critérios introduzidos visavam que a empresa garantisse “o número de pessoas e a capacidade técnica instalada no terreno num período o mais curto possível”.



Um dos critérios que assumiu que poderá ter sido "exagerado" era a necessidade de os encarregados serem residentes na região.



Miguel Ferreira disse que a primeira parte da obra de ampliação da Urgência já está concluída e a da Pediatria parcialmente, obras que custaram cerca de 1,6 milhões de euros.



"Está em fase final a instalação dos equipamentos do Raio X e TAC", afirmou, esperando que dentro de uma ou duas semanas esta fase esteja concluída.



Também estão a avançar as obras na sala de atendimentos de emergência. Depois, a parte final das intervenções engloba a secretaria e o que resta da Pediatria que está a ser remodelada. Até ao fim do ano, o responsável estimou que esta primeira fase de remodelação da Urgência esteja finalizada.



Por Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários