"Café Memória" abre portas em Viana do Castelo a cuidadores de pessoas com demência

Local de encontro para pessoas com demência, familiares e cuidadores, o “Café Memória” tem vindo a conquistar cada vez mais público e a chegar a vários pontos do país, abrindo as portas no sábado em Viana do Castelo.
créditos: AFP

“O Café Memória é uma resposta complementar e informal na intervenção na área das demências e é um ponto de encontro não só das pessoas com problemas de memória ou demência, mas também dos seus cuidadores e familiares”, disse à agência Lusa a coordenadora do projeto, Catarina Alvarez.

O que se pretende nestes encontros “é partilhar experiências, prestar informação e suporte emocional a estas pessoas, que muitas vezes se encontram sozinhas e precisam de um apoio especializado”, explicou Catarina Alvarez.

Criado em abril de 2013, o “Café Memória”, que está inserido no projeto “Cuidar Melhor”, de apoio aos cuidadores de pessoas com demência, lançado pela Associação Alzheimer Portugal e pela Sonae Sierra, já conta com sete pontos de encontro em todo o país: três em Lisboa, um em Cascais, um em Campo Maior, um no Porto e em Viana do Castelo.

A adesão ao projeto tem sido crescente, passando de uma média de 15 participantes por sessão para 25, mas esta adesão também se revela de outra forma: “Tivemos várias entidades que nos foram contactando e que quiseram colaborar connosco e contribuir para que o projeto crescesse em Portugal”, sublinhou.

“Realmente nós acreditamos que esta é uma reposta que serve as pessoas e contribui para melhorar o seu dia-a-dia, porque é isso que verificamos, com cada vez mais pessoas a participarem” nos encontros.

Catarina Alvarez explicou que um dos objetivos do projeto é “contribuir para a melhoria da qualidade de vida destas pessoas”, mas também sensibilizar a comunidade para a problemática das demências, nomeadamente através da prática do voluntariado.

“É um tema em Portugal ainda com muito estigma, com muita vergonha associada e faz parte da nossa missão ir quebrando este preconceito”, disse a coordenadora dos projetos “Café Memória” e “Cuidar Melhor”.

Desde o lançamento do projeto, já foram realizadas 56 sessões, participadas por mais de 1.000 pessoas, maioritariamente cuidadores e familiares de pessoas com demência, e com uma equipa de 96 voluntários que já dedicaram mais de 1600 horas à iniciativa.

Os dados mais recentes apontam para a existência de 153.000 pessoas com demência em Portugal, das quais 90.000 têm doença de Alzheimer.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários