Bruxelas quer proibir a mefedrona na União Europeia

Próxima do ecstasy, a droga é proibida em 15 Estados-membros mas não em Portugal.

A Comissão Europeia propôs hoje, em Bruxelas, a proibição da produção e comercialização da mefedrona, sujeitando-a a sanções penais em toda a Europa.

“A mefedrona é uma droga perigosa, disponível na Internet e nos traficantes de rua. Foi responsável pela morte de várias pessoas e por essa razão apelo aos Governos para actuarem rapidamente, colocando-a sob controlo e sancionando-a penalmente”, declarou a comissária europeia responsável pela Justiça, Viviane Reding.

A mefedrona não possui qualquer valor terapêutico estabelecido nem outros fins legítimos conhecidos, sendo um estimulante, cujos efeitos físicos são comparáveis aos do ecstasy (MDMA) ou da cocaína.

É vendida principalmente sob a forma de pó, mas existe igualmente em cápsulas ou em comprimidos, na Internet, em estabelecimentos especializados (“head shops”) ou junto de traficantes de rua.

Esta droga já foi proibida (produção, comercialização e venda) em 15 Estados Membros da União Europeia: Áustria, Bélgica, Dinamarca, Estónia, França, Alemanha, Irlanda, Itália, Letónia, Luxemburgo, Malta, Polónia, Roménia, Suécia e Reino Unido.

Uma avaliação científica dos riscos, realizada pelo Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência (OEDT), com sede em Lisboa, mostrou que a mefedrona podia provocar graves problemas de saúde e dependência, tendo sido assinaladas mortes em relação ao seu consumo na Europa.

Os Governos da UE devem agora decidir sobre a adoção destas medidas, através de uma votação por maioria qualificada no Conselho de Ministros.

Fonte: Lusa

2010-10-21

Comentários