Brittany Maynard morreu no dia que escolheu

A norte-americana iniciara uma campanha pela aprovação da eutanásia nos Estados Unidos da América. Tinha um cancro cerebral em fase terminal.

Brittany Maynard, de 29 anos, morreu no dia que escolheu.

Tinha anunciado que cometeria suicídio assistido a 1 de novembro para evitar o sofrimento de uma morte lenta provocada pelo cancro no cérebro. "Hoje foi o dia que escolhi para morrer com dignidade", diz a mensagem que deixou e que foi divulgada, assim como a notícia da sua morte, no domingo.

A informação foi confirmada pela família. Brittany Maynard morreu em casa depois de tomar a medicação letal prescrita por um clínico. Antes de partir, deixou uma última mensagem aos amigos e familiares.
Depois de lhe ser detetado um grave tumor cerebral e de lhe serem dados apenas seis meses de vida, Brittany Maynard, de 29 anos, relançou a discussão sobre a eutanásia, após afirmar que queria “morrer com dignidade”.

Brittany Maynard, que se mudou para Oregon, um dos quatros Estados norte-americanos onde é permitido o suícidio assistido, quando lhe foi diagnosticado o tumor, para que pudesse concretizar o seu "desejo". Morreu na noite de sábado, no primeiro dia de novembro. Antes, escreveu uma última mensagem na rede social Facebook.

“Adeus a todos os meus queridos amigos e família, que eu amo. Hoje é o dia que escolhi para passar com dignidade esta face da minha doença terminal, este terrível tumor no cérebro que tirou tanto de mim”, escreveu. “O mundo é um lugar bonito, viajar tem sido o meu maior professor, os meus amigos mais próximos os meus maiores doadores. Enquanto escrevo esta mensagem tenho um círculo de apoio à volta da minha cama... Adeus mundo. Espalhem boas energias”, conclui.

Comentários