Brasil constrói laboratório de combate a tuberculose em São Tomé e Príncipe

O governo do Brasil está a construir em São Tomé e príncipe um laboratório de referencia para diagnosticar casos de tuberculose, avaliado em mais de 500 mil dólares, disse à Lusa o embaixador brasileiro.
créditos: PAULO NOVAIS/LUSA

A obra, que se espera esteja concluída em oito meses, será equipada com "equipamentos dos mais modernos" que existem no mercado, para permitir um "diagnóstico internacionalizado" da doença, que em São Tomé e Príncipe afeta mais de 130 pessoas.

"O Brasil encara de frente o combate à tuberculose, sabe a importância de combater esse mal, São Tomé e Príncipe precisa muito desse laboratório", disse o embaixador brasileiro acreditado na capital são-tomense, José Carlos Leitão.

O diplomata brasileiro considera o projeto como "mais um sucesso da cooperação bilateral entre Brasil e São Tomé e Príncipe", sublinhando que a sua entrada em funcionamento vai permitir ao arquipélago "ganhar tempo" no apuramento dos casos de tuberculose e pôr termo ao envio de amostras para laboratório nos Camarões.

"Constatamos que existem vários casos de tuberculose que não são detetados e a possibilidade de construir esse laboratório vai representar imenso na vida dos são-tomenses, vai permitir detetar novos casos do vírus e evitar a propagação da doença", disse, por seu lado, fonte do ministério da saúde.

Segundo o coordenador do Programa são-tomense de Luta Contra a Tuberculose, já existem casos de tuberculose resistentes aos medicamentos e outros com infeção de HIV, pelo que a possibilidade de construir um laboratório para o diagnóstico e tratamento da doença "é sem duvida muito importante na vida dos doentes".

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários