BE quer mutilação genital feminina classificada como crime público

Estima-se que mais de 140 mil mulheres em todo o mundo tenham sido submetidas à mutilação
6 de fevereiro de 2014 - 15h25



O Bloco de Esquerda (BE) apresentou hoje um projeto de lei onde pede que a mutilação genital feminina seja classificada como um crime público, declarando "otimismo" sobre a aprovação do documento no parlamento.



"A nossa perspetiva é otimista. Confiamos que a proposta seja aprovada e temos toda a disponibilidade para a melhorar", declarou a deputada Cecília Honório em conferência de imprensa no parlamento, recordando que a secretária de Estado da Igualdade, Teresa Morais, mostrou já no passado abertura sobre a matéria.



O projeto do Bloco, que será debatido na generalidade a 26 de fevereiro, "individualiza o crime de mutilação genital feminina, conferindo a moldura penal da ofensa à integridade física qualificada a quem comete ou força a cometer o ato, e de ofensa à entidade física grave a quem incentiva ou providencia os meios para o efeito".



Na apresentação do projeto dos bloquistas, feita no "dia da tolerância zero contra este crime", Cecília Honório declarou que esta é uma "realidade escondida sob a cortina de fumo das tradições", motivo pelo qual urge autonomizar o crime, reclama a parlamentar.



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários