Banhos de mar desaconselhados a sul do Tejo

Aviso abrange São João da Caparica, Costa da Caparica, Fonte da Telha, Lagoa de Albufeira e Meco
18 de julho de 2013 - 10h09



O registo de quase 80 casos de irritação cutânea nas praias da zona da Costa de Caparica na quarta-feira fez com que as autoridades desaconselhassem hoje os banhos de mar a toda a população na margem sul do Tejo.



De acordo com o comandante Cruz Gomes, da Capitania de Lisboa, na quarta-feira registaram-se 70 casos nas praias a sul da Costa de Caparica e Fonte da Telha e oito casos em São João da Caparica.



Estas pessoas apresentaram, segundo Cruz Gomes, sintomas idênticos aos registados na semana passada na praia de Carcavelos, onde os banhos chegaram a estar interditados: “comichões e pele um pouco vermelha, mas que rapidamente desaparece com lavagem com água doce”.



A Agência Portuguesa do Ambiente desaconselhou hoje os banhos a toda a população na margem sul do Tejo, recomendando também a adultos com maior fundo alérgico e crianças que não entrem no mar em São Pedro do Estoril, onde na quarta-feira se registaram 12 casos.



A mesma recomendação foi feita, de acordo com o comandante Cruz Gomes, pelo delegado de saúde regional de Lisboa e Vale do Tejo.



“Na margem norte, a única praia com limitações, e mais para os grupos vulneráveis, de fundo alérgico e também as crianças, é a de São Pedro do Estoril. Quanto à margem sul, são todas as praias, desde a Cova do Vapor até ao Cabo Espichel. Aí é desaconselhado o banho a todos os banhistas”, afirmou o comandante em declarações à Lusa.



O aviso abrange as praias de São João da Caparica, Costa da Caparica, Fonte da Telha, Lagoa de Albufeira e Meco.



Perto das praias da Lagoa de Albufeira e do Meco, na Herdade do Cabeço da Flauta, inicia-se hoje o festival Super Bock Super Rock (SBSR), onde são esperadas cerca de 30 mil pessoas por dia.



Durante o dia de hoje, a Polícia Marítima irá “ter especial cuidado em fazer a divulgação do desaconselhamento [dos banhos de mar]”.



“Esta situação hoje mais restritiva, pelo menos na margem sul, resultou do elevado número de casos que se registaram ontem [quarta-feira] durante o dia numa grande percentagem das praias da Costa da Caparica e da Fonte da Telha”, reforçou o comandante.



Nos casos registados na semana passada nas praias da linha de Cascais, os resultados laboratoriais mostraram que havia “uma concentração de microalgas que aumentou, mas estavam mortas”.



Na segunda-feira, a Agência Portuguesa de Ambiente (APA), decidiu levantar a interdição de banhos por não ter estabelecido uma relação causal entre as situações de comichão relatadas por várias pessoas e a presença de microalgas nas águas.



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários