Bactéria presente no iogurte pode ser a chave para a cura da depressão

Cientistas norte-americanos trataram os sintomas depressivos em animais de laboratório com uma bactéria encontrada no iogurte, o que pode abrir portas para um novo tratamento, informa um estudo publicado na revista “Scientific Reports”.
créditos: Pixabay

O estudo da Universidade de Virginia, nos Estados Unidos, demonstrou que a bactéria probiótica lactobacillus possui um mecanismo específico que afeta e regula o estado de humor.

Segundo os cientistas, há uma relação direta entre a saúde do microbioma intestinal e a saúde mental e a lactobacillus pode ajudar a ciência a perceber melhor a depressão e outras doenças do foro psíquico.

Para o estudo, os investigadores analisaram o microbioma intestinal de ratinhos antes e depois de terem sido expostos a episódios de stress. "Quando se está stressado, aumenta-se a probabilidade de se ficar deprimido", começa por explicar o autor principal do estudo, o norte-americano Alban Gaultier.

Em laboratório a equipa observou que os episódios de stress induzido provocavam a perda em quantidade da bactéria lactobacillus nos intestinos dos ratinhos, aumentando os sintomas de depressão.

Uma análise mais profunda dos cientistas revelou que os níveis de lactobacillus nos intestinos fizeram aumentar os níveis de um metabolito do sangue conhecido como quinurenina, fortemente associado ao surgimento da depressão.

Para os investigadores da Universidade de Virginia, o próximo passo é replicar a experiência em humanos para perceber se os resultados obtidos em animais de laboratório se confirmam. "A grande esperança é que não precisemos de nos preocupar com fármacos complexos e efeitos secundários", explica o autor. "Basta manipular o microbioma", acrescentou Alban Gaultier.

15 coisas (que tem de saber) para não enlouquecer

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários