Bactéria Escherichia Coli O104:H4

Tudo o que precisa de saber sobre a bactéria que anda a assustar a europa

Escherichia Coli é o nome da bactéria que está a devastar a confiança dos europeus nos legumes que consomem. A história começa com pessoas a morrerem na Alemanha devido a uma infeção pela estirpe mais perigosa desta bactéria: A Escherichia Coli Enterohemorrágica.

Ao mesmo tempo que o número de casos de morte e infeções pela E. coli tem vindo a aumentar na Alemanha, laboratórios europeus investigaram e testaram qual a origem do aparecimento desta bactéria. Até à data ainda não se sabe qual a sua proveniência.

O que é a bactéria Escherichia Coli
A E. coliassume a forma de um bacilo e pertence à família das Enterobacteriaceae. O seu habitat natural é a flora intestinal dos seres humanos e de outros animais de sangue quente.

Existem várias estirpes de bactérias Escherichia Coli:
•Escherichia coli enteropatogénica ( EPEC );
•Escherichia coli enteroinvasiva ( EIEC );
•Escherichia coli enterotoxigénica ( ETEC );
•Escherichia coli enterohemorrágica ( EHEC ).

A estirpeà qualtem vindo a ser atribuída a origem da infeção na Europa é a estirpe Escheria Coli Enterohemorrágica O157:H7. Este é a bactéria mais comum ea mais estudada; Estudos recentes determinaram que aE. Coli O157:H7 foi infetada por um vírus cujo cromossoma ficou gravado no seu DNA. Isto deu origem a que um dos genes da E. Coli tenha ficado programado para produzir a toxina Shiga-like (ou as chamadas verotoxinas)

As síndromes provocadas pela toxina Shiga-like são:
- Disenteria;
- Colite Hemorrágica;
- Síndrome Hemolítica Urémica.

Os casos de morte e infeção vividos nos últimos dias na Europa, maioritariamente na Alemanha, são provocados pela Síndrome Hemolítica Urémica. Esta é uma síndrome que coloca em risco a vida humana e exige cuidados intensivos. Os seus sintomas são diarreia severa, dores abdominais, vómitos e sangue na urina.

Os sintomas da toxina Shiga-like atuam num período de poucas horas. Não existe um antídoto para esta toxina. Os tratamentos possíveis passam por tomar glicocortóides (anti-inflamatórios hormonais) e antibióticos, e manter a hidratação, entre 5 a 10 dias. Nos casos mais graves, as pessoas devem ser submetidas a transfusões de sangue e a diálises (no caso de falência renal).

Comentários