Mais de 500 idosos em risco sinalizados pelas autoridades em 2015

Mais de 500 idosos em situação de risco foram sinalizados este ano pela GNR a instituições locais para receberem apoio social e médico, disse à agência Lusa o major Paulo Poiares.
créditos: MANUEL TELES

Segundo o responsável da GNR, foram detetados pelos militares, entre janeiro e agosto, 549 idosos a necessitaram de apoio social e acompanhamento médico.

“Verificámos que além das questões de segurança existem outras questões sociais prementes que precisam de ser resolvidas”, como problemas de “má nutrição” e de saúde, disse Paulo Poiares, que falava à Lusa a propósito do Dia Internacional do Idoso, assinalado a 01 de outubro.

Segundo um estudo da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Portugal é dos países da Europa onde as pessoas idosas são mais abandonadas, com menos profissionais a elas dedicados e menos dinheiro alocado.

As situações de risco têm estado a aumentar, bem como o número de idosos a viver sozinhos ou isolados, mas Paulo Poiares justificou que este aumento pode dever-se ao facto de os militares estarem a conseguir chegar a mais locais do país e a mais idosos.

Na operação “Censos Sénior” realizada em abril de 2014, a GNR sinalizou 39.216 idosos a viverem sozinhos ou isolados em todo o país, mais 5.253 face a 2013.

O trabalho da GNR junto dos idosos é desenvolvido em rede com outras instituições a nível local, como autarquias, juntas de freguesia, centros de saúde, Santa Casa da Misericórdia ou Segurança Social.

Quando são detetadas situações de risco é no trabalho em rede que “se procuram as melhores soluções”, envolvendo a família do idoso, “que é a primeira a ser contactada”.

Comentários