Autoridades dos Estados Unidos querem proibir gorduras saturadas

Redução do consumo poderá evitar 20.000 ataques cardíacos e 7.000 mortes por ano
8 de novembro de 2013 - 09h40



As autoridades norte-americanas querem proibir as gorduras saturadas que estão presentes em bolachas e nas pizas ultracongeladas, entre outros produtos, devido a importantes riscos para a saúde, nomeadamente cardiovasculares.



"É um passo importante para proteger um maior número de norte-americanos contra os potenciais perigos destes ácidos gordos saturados", disse a diretora da Agência de Produtos Alimentares e Farmacêuticos (FDA), Margaret Hamburg, citada pela agência noticiosa France Press.



A mesma responsável acrescentou que "embora o uso de gorduras saturadas, potencialmente perigosas para a saúde, tenha diminuído nas duas últimas décadas nos Estados Unidos, continuam a ser uma grande preocupação para a saúde pública".



"Uma redução suplementar das quantidades destas gorduras na alimentação dos norte-americanos poderá evitar 20.000 ataques cardíacos e 7.000 mortes anualmente", rematou.



A FDA determinou que as gorduras saturadas "não são geralmente consideradas seguras" para serem utilizadas na alimentação, segundo a AFP.



A agência feral norte-americana tomou esta decisão após uma consulta pública de 60 dias para determinar, nomeadamente, o tempo necessário para a indústria agroalimentar se adaptar a esta nova regra.



SAPO Saúde com AFP
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários