Autoridades alemãs autorizam cultivo de canábis para fins medicinais

Planta alivia dor dos pacientes que sofrem de cancro, glaucoma, SIDA, hepatite C e Parkinson
23 de julho de 2014 - 10h01



As autoridades judiciais alemãs autorizaram pela primeira vez que vários pacientes cultivem canábis para fins terapêuticos, embora uma série de juízes se tenham mostrado contra essa decisão.



Cinco pacientes que sofriam de dor crónica apresentaram um recurso contra a decisão do Instituto Federal do Medicamento (BfArM) que não autorizava o cultivo da planta para tratar as suas doenças. Nenhum dos pacientes tinha rendimentos para comprar a droga, que não é coberta pelo seguro de saúde.



Os juízes do tribunal administrativo de Colónia analisaram caso a caso e finalmente deram razão a três pacientes, embora tenham desconsiderado o pedido de outros dois. Nestes dois, os juízos concluíram que os pacientes não tinham ainda esgotado as outras alternativas terapêuticas.



O BfArM e os pacientes têm um mês para recorrer no tribunal administrativo de Münster. Na Alemanha, o cultivo de droga é proíbido e o consumo só é autorizado com prescrição médica.



A legislação evoluiu em muitos países ocidentais em relação à utilização com fins terapêuticos, já que está provado que a planta alivia em especial os pacientes que sofrem de cancro, glaucoma, SIDA, hepatite C e Parkinson.



Por SAPO Saúde com AFP
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários