Atividade física ajuda a proteger a fertilidade masculina

Estudo diz que exercícios ao ar livre ou musculação são especialmente benéficos

18 de outubro de 2013 - 09h24

Alguns tipos de atividade física podem melhorar, ou pelo menos proteger, a fertilidade masculina, aumentando as hipóteses de concepção de um casal, revelou um estudo feito na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

No estudo, homens que faziam exercícios ao ar livre ou musculação apresentaram uma maior concentração de espermatozóides no sémen do que aqueles que não praticavam essas atividades. Essas conclusões serão apresentadas nesta semana durante o encontro da Federação Internacional das Sociedades de Fertilidade, em Boston.

A contagem de esperma é uma medida da quantidade de espermatozóides por mililitro de sémen. Quando esse número é superior a 39 milhões, considera-se que o homem é saudável; abaixo dos 15 milhões, que ele tem baixa contagem (oligospermia); e, menos do que 10 milhões, que é infértil.

Sete horas semanais

No estudo, feito entre 2008 e 2012, 137 homens responderam a questionários sobre prática de atividade física e submeteram-se a recolhas de amostras de sémen. Os cientistas descobriram que os voluntários que praticavam pelo menos sete horas semanais de qualquer exercício de intensidade moderada a vigorosa tinham uma contagem de esperma 48% maior do que aqueles que se exercitavam menos do que uma hora por semana.

Certos tipos de atividade parecem ser mais benéficos à fertilidade masculina do que outros. Os participantes que faziam pelo menos hora e meia de exercícios ao ar livre, por exemplo, apresentaram uma contagem de esperma 42% maior do que os que praticavam atividades físicas em ambientes fechados. A exposição ao sol, acreditam os especialistas, pode contribuir de alguma forma para a fertilidade masculina, pois ajuda a aumentar os níveis de vitamina D no organismo.

Ciclismo prejudicial à produção de espermatozóides

Segundo o estudo, o benefício dos exercícios ao ar livre vale para todas as modalidades desportivas, exceto para o ciclismo. Os investigadores descobriram que os voluntários que pedalavam durante hora e meia ou mais por semana tinham uma concentração de espermatozoides 34% menor do que os outros. O aumento da temperatura na região genital quando o homem está sentado em uma bicicleta pode ajudar a explicar esse dado.

Outro tipo de atividade física que parece contribuir para a fertilidade é a musculação. O estudo indicou que participantes que praticavam musculação mais do que duas horas por semana tinham, em média, uma contagem de esperma 25% maior do que aqueles que não praticavam.

SAPO Saúde

artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários