Associação retirou 500 quilos de lixo das margens do Rio Paiva

Resíduos recolhidos são essencialmente lixos domésticos
7 de outubro de 2013 - 12h37



Cerca de uma centena de pessoas estiveram envolvidas na limpeza das margens do Rio Paiva, nas quais foram deixados perto de 500 quilogramas de lixo durante a época balnear, disse fonte da associação promotora da iniciativa.



"Estimamos que tenha sido retirada meia tonelada de resíduos das margens do Rio Paiva. A maior concentração de lixo verificou-se junto à foz, em Castelo de Paiva e Cinfães", disse à agência Lusa o presidente da direção da SOS Rio Paiva, Sérgio Caetano.



A associação SOS Rio Paiva promoveu, nos dias 28 de setembro e no domingo, a iniciativa "Vamos Limpar o Rio Paiva", que visou a recolha de lixo nas margens de um rio que tem cerca de 110 quilómetros de extensão e atravessa os concelhos de Viseu, Sátão, Vila Nova de Paiva, S. Pedro do Sul, Castro Daire, Moimenta da Beira, Sernancelhe, Cinfães no distrito de Viseu; e Castelo de Paiva e Arouca no distrito de Aveiro.



Ao todo foram realizadas cinco caminhadas nos concelhos de Castelo de Paiva (Várzea), Cinfães (Dois Areios), S. Pedro do Sul (Nodar), Castro Daire (Pego) e Moimenta da Beira (Soutosa), que envolveram cerca de centena de voluntários de todas as idades.



"Podemos dizer que se tratou de uma recolha muito eficaz, visto que se recolheu grande quantidade de resíduos. No entanto, alertamos para o facto de ser mau sinal deixarem tanto lixo espalhado", apontou.



O responsável pela associação que visa a defesa do Vale do Paiva informou que os resíduos recolhidos são essencialmente lixos domésticos, sobretudo garrafas de vidro, restos de comida, fraldas, talheres, utensílios de cozinha, sacos de plástico, champôs e garrafas de água.



"Nota-se que é o lixo tipicamente deixado por pessoas que frequentam o rio durante o verão. Também encontrámos algum lixo deixado por pescadores", acrescentou.



Sérgio Caetano revelou ainda que, durante as caminhadas, foram detetados alguns depósitos de entulho nas imediações do Rio Paiva.



"Quem passa na estrada não se apercebe que estão a crescer depósitos de entulho nas imediações do rio. Vamos denunciar esta situação às autarquias e às autoridades para evitar que continuem a acontecer", alegou.



A iniciativa da SOS Rio Paiva pretendeu evitar que o lixo seja arrastado e espalhado pelas margens e caudal de um rio que foi durante muito tempo considerado o rio mais limpo da Europa.



"Para além de recolhermos o lixo, pretendemos sensibilizar as pessoas. Não podem estar sempre à espera que alguém venha recolher o lixo deixado", defendeu.



Na sua opinião, é essencial que seja feito um trabalho de sensibilização antes da época balnear, de forma a que as pessoas tenham a responsabilidade de deixar as margens do Rio Paiva sem qualquer resíduo.



"Não podemos cair no erro de habituar as pessoas a um trabalho de limpeza sempre que acaba o verão. É preciso sensibilizar as pessoas para esta responsabilidade", concluiu.



Participaram nas operações de recolha de resíduos a SEPNA-GNR de Viseu, Associação de Produtores Florestais de Montemuro e Paiva, Associação Caminhos da Memória, Associação Cultural e Recreativa de Soutosa, Associação Eco-Turística Douro Paiva, Associação de Estudo e Defesa do Património Histórico-Cultural de Castelo de Paiva, Associação Florestal do Vale do Sousa, Associação Aldeias de Magaio, Associação Binaural, CLDS, Associação Ardena e Naturpaiva.



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários