Associação lança campanha para explicar o que são as doenças do sangue

A Associação Portuguesa de Leucemias e Linfomas (APLL) tem em curso até ao final de setembro uma campanha para explicar as características das doenças do sangue que atacam a população mais idosa.
créditos: AFP

Criada há 16 anos, e desde 2014 Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS), a associação sediada no Porto apoiou nos últimos três anos "cerca de 500 doentes", pretendendo com a nova campanha "Quando as pequenas coisas fazem a grande diferença" chegar a muito mais portugueses.

A campanha, que decorre no âmbito do Dia Internacional do Linfoma assinalado na próxima sexta-feira, visa combater o facto de a "maior parte das pessoas não saber o que é um linfoma", contou à Lusa a presidente da APLL, Isabel Barbosa.

“O linfoma é um cancro”, frisou a responsável, explicando que, em Portugal, “a maior parte das pessoas sabe o que é a leucemia, mas desconhece o que é o linfoma, que é só a doença de sangue mais frequente”.

Caracterizada pelo “surgimento de células anormais – linfócitos – que levam ao aparecimento de gânglios aumentados, principalmente nas axilas, pescoço e virilhas”, a doença continua, segundo Isabel Barbosa, “a ser motivo de confusão para as pessoas”.

Mais casos no futuro

Com o envelhecimento da população portuguesa, a especialista prevê mesmo o surgimento de “cada vez mais casos de linfomas e mielomas, doenças de sangue que atacam pessoas de idade mais avançada.

"No caso dos linfomas há, por ano, entre 1.700 e 2.000 novos casos em Portugal", revelou Isabel Barbosa, informando haver "mais de 60 subtipos de linfomas" e que esse é um detalhe "muito importante para poder determinar o tratamento".

Prestando apoio social, nas áreas da psicologia e apoio económico aos doentes mais carenciados e referenciados pelas assistentes sociais dos hospitais, a APLL "ajuda-os na aquisição, entre outros, de medicamentos, produtos de higiene, próteses dentárias e óculos", disse a presidente.

Comentários