Arábia Saudita anuncia mais 13 mortes por coronavírus MERS

OMS reúne-se de emergência terça-feira para debater problema
12 de maio de 2014 - 11h11



A Arábia Saudita anunciou 13 novas mortes ligadas ao coronavírus MERS, elevando para 139 o número de vítimas do vírus no país, enquanto a Organização Mundial de Saúde (OMS) convocou uma reunião de emergência para esta terça-feira.



No último balanço divulgado no sábado à tarde, o ministério da Saúde informou a morte de seis pessoas portadoras do MERS - três jovens de 22, 26 e 35 anos, que perderam a vida em Riad, uma mulher de 68 anos e um homem de 78 anos em Medina e um septuagenário em Jidá.



O ministério contabiliza um total de 480 casos de infeção pelo coronavírus MERS desde o aparecimento da doença na Arábia Saudita em 2012. Desde o início de maio, 32 pessoas morreram vítimas do vírus.



"Um número crescente de casos em diferentes países tem levantado questões", declarou um porta-voz da OMS, lembrando que o comité de emergência realizou desde o início da crise quatro reuniões, a última em dezembro.



A Arábia Saudita é o país mais afetado pelo coronavírus, mas outros casos de infeção foram recentemente identificados na Jordânia, Egito, Líbano e Estados Unidos. Também na Europa foram diagnosticados casos no Reino Unido, França e Alemanha.



De acordo com o último relatório da OMS publicado na quarta-feira, desde setembro de 2012, 496 casos foram confirmados em todo o mundo.



O coronavírus MERS é considerado um "primo" mais letal - porém menos contagioso - do vírus responsável pela Síndrome Respiratória Aguda Grave, que provocou cerca de 800 mortos em 2003. O vírus provoca problemas respiratórios agudos, pneumonia e insuficiência renal de rápida evolução.



A origem do vírus é ainda desconhecida.



Por SAPO Saúde com AFP
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários