Apenas um em cada 20 semáforos de Lisboa tem sinais sonoros para cegos

Apenas um em cada 20 dos semáforos de Lisboa tem sinais sonoros para cegos, segundo um inventário feito em várias zonas da cidade, que identifica também diferentes obstáculos à mobilidade das pessoas com deficiência.

"Os semáforos (...) são pouco acessíveis às pessoas com baixa visão quando têm pouca luminosidade nos indicadores e ainda menos acessíveis para os cegos, tendo em conta que apenas cinco por cento dos exemplos encontrados possuíam sinalética sonora", adianta o relatório final do projeto “Uma Lisboa para todos”.

O estudo, uma parceria entre a Associação de Retinopatia de Portugal (ARP) e a Empresa Municipal de Estacionamento e Mobilidade de Lisboa (EMEL), conclui ainda que, em alguns casos, mesmo quando essa sinalização existe, o volume usado é insuficiente e o sistema funciona apenas de um dos lados da via.

As conclusões do estudo serão apresentadas quarta-feira, Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, na Feira Natalis, na FIL, no Parque das Nações.

A iniciativa, em que participaram 287 pessoas, 195 das quais com deficiência visual, incluiu a realização de caminhadas por oito percursos diferentes na cidade de Lisboa com o objetivo de identificar e fazer o mapeamento dos pontos de maior dificuldade no caminho das pessoas com cegueira ou baixa visão.

Largo Luís de Camões - Sé de Lisboa, Praça Marquês de Pombal – Terreiro do Paço, Cais do Sodré – Rocha do Conde de Óbidos, Gare do Oriente – Torre Vasco da Gama, Campo Grande – Praça Duque Saldanha, Praça do Areeiro – Praça de Espanha, Praça da Figueira – Castelo de S. Jorge, S. Sebastião – Sete Rios, foram os percursos escolhidos para a avaliação.

Os participantes no projeto, maioritariamente com idades compreendidas entre os 31 e os 65 anos, identificaram também a colocação errada de pilaretes, a existência de múltiplos obstáculos no passeio (caixotes do lixo, caixas de eletricidade, placas de sinalização, marcos de correio, entre outros) e a má identificação dos postes de sinalização, dos placards de publicidade exteriores, das escadas, passagens aéreas e de peões.

Comentários