APAV e DGS lançam hoje campanha para prevenir violência contra idosos

Crimes contra pessoas idosas aumentaram 158% entre 2000 e 2011

A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) e a Direção-Geral da Saúde assinalam hoje o Dia Internacional de Sensibilização sobre a Prevenção da Violência Contra as Pessoas Idosas com o lançamento de uma campanha para prevenir este crime.

Dados da APAV indicam que os crimes contra os idosos mais do que duplicaram (aumentaram 158 por cento) entre 2000 e 2011, período durante o qual a associação apoiou 6.240 pessoas vítimas de crime.

Com estes processos de apoio, a APAV verificou que existe “um insuficiente conhecimento do tema por parte das vítimas, familiares e prestadores de cuidados, bem como uma insuficiente informação e capacitação dos profissionais para intervirem nestas situações”.

Para alertar para esta situação, a APAV e a Direção-Geral da Saúde (DGS) iniciam hoje uma campanha de sensibilização e divulgação pública desenvolvida no âmbito do Projeto Títono – Apoio a Pessoas Idosas Vítimas de Crime e de Violência, financiado pela DGS

Reconhecendo que a violência contra os idosos constitui “um problema social de saúde pública”, os promotores da campanha consideram que "o eficaz combate pode contribuir para um futuro mais inclusivo, onde todos sejam respeitados ao longo do ciclo de vida, nomeadamente no contexto de um envelhecimento ativo e saudável”.

Em declarações à Lusa, Maria de Oliveira, técnica da APAV, afirmou que este crime representa “uma situação grave, não só socialmente, e também é um problema de saúde pública”.

“Mais tarde ou mais cedo, as pessoas recorrem a unidade de saúde porque têm algum problema de saúde ou porque sofreram alguma forma de violência física”, comentou.

“Mas nós sabemos que os nossos dados são só a pontinha do iceberg”, comentou, alertando para um possível aumento destes casos: “O país encontra-se numa situação financeira difícil e temos famílias nucleares a regressarem a casa dos pais e isto pode potenciar situações de tensão e de conflitos”.

Também há relatos de furtos, de burlas e ‘homejacking’, em que as pessoas estão em casa e são brutalmente agredidas.

“É uma realidade que vai desde a violência doméstica a todos os outros crimes de que os idosos são alvos na rua, em casa, em estabelecimentos, instituições”, frisou Maria de Oliveira.

O Dia Internacional de Sensibilização sobre a Prevenção da Violência Contra as Pessoas Idosas foi proposto pela Rede Internacional para a Prevenção dos Maus-Tratos a Idosos com o objetivo de alertar a sociedade para a necessidade de prevenir e combater este fenómeno.

15 de junho de 2012

@Lusa

Comentários