Angelini desafia estudantes portugueses a investigar doenças neurodegenerativas

2ª Edição do Angelini University Award atribui bolsa de €6000

A Angelini Farmacêutica vai promover a 2ª Edição do Angelini University Award (AUA), um prémio anual de investigação destinado aos estudantes universitários. O AUA 2010/2011 vai distinguir o melhor projecto desenvolvido na área das doenças neurodegenerativas, premiando o vencedor com uma bolsa de investigação no valor de 6.000 mil euros.

Com o objectivo de estimular a aplicação dos conhecimentos académicos num projecto sob o tema “Novos Produtos/Serviços para doentes com Alzheimer, demências e envelhecimento cerebral”, a Angelini volta a apostar na investigação científica, nomeadamente na área das doenças neurodegenerativas, a serem abordados segundo pela perspectiva do cuidador.

Depois do sucesso da 1ª Edição do AUA que distinguiu o projecto de “ A Saúde”, um centro especializado em Alzheimer, o Director-geral da Angelini Farmacêutica, Dr. Luigi Cianci considera, “é fundamental apostar no desenvolvimento de projectos que fomentem uma relação de proximidade e de parceria entre as empresas, a sociedade e a comunidade universitária.

O AUA é uma aposta da Angelini para sensibilizar a comunidade e potenciar a criatividade, inovação e espírito de desafio na pesquisa das doenças neurodegenerativas, tendo em atenção a óptica dos cuidadores, muitas vezes desamparados e sem qualquer tipo de apoio ou orientação no que respeita ao acompanhamento dos doentes. Esperamos que os trabalhos apresentados tenham este alvo em mente e possam originar projectos destinados a facilitar a vida destas pessoas e a tarefa de cuidar dos doentes.”

Cuidar de um doente de Alzheimer é uma tarefa difícil, que requer tempo e energia, e que muitas vezes recai sobre o familiar mais próximo. É assim uma responsabilidade que pode ter um enorme desgaste emocional e físico, especialmente se adicionado à angústia de ver alguém muito querido a perder as suas capacidades. O grande desafio do cuidador é desenvolver um ambiente capacitado, que suporte as rotinas de cuidados primários e minimize as perturbações do comportamento.

Assim, é preciso reconhecer a importância e influência do cuidador na evolução da doença, particularmente na frequência e gravidade dos problemas comportamentais e deterioração das capacidades funcionais. Cuidadores bem preparados e informados, apoiados e em bom estado psicológico e fisiológico prestam melhores cuidados ao doente.

Depois de a primeira edição do AUA registar uma adesão significativa a nível nacional, o Dr. Luigi Cianci acrescenta: “A Angelini espera mobilizar um maior número de estudantes e motivar a investigação nesta área, de forma a contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos doentes que sofrem de doenças neurodegenerativas, estas que afectam milhares de pessoas em Portugal.

Neste âmbito, o AUA disponibiliza temas de investigação muito abrangentes na área dos Novos Produtos/Serviços para doentes com Demências/Alzheimer/Envelhecimento Cerebral.”

O AUA está a decorrer em dois períodos distintos, correspondentes aos dois semestres do ano lectivo 2010/2011. De momento encontra-se a decorrer o segundo período de participação, com data limite de entrega dos projectos até dia 16 de Junho de 2011.

Para mais informações sobre o AUA visite: www.aua.pt

23 de maio de 2011

Fonte: Lusa/SAPO


Comentários