Anestesia do Centro Hospitalar do Porto é a primeira na Península Ibérica reconhecida internacionalmente

Centro hospitalar engloba quatro unidades importantes de saúde no Porto
24 de fevereiro de 2014 - 12h33



O Serviço de Anestesiologia do Centro Hospitalar do Porto (CHP) anunciou hoje ter sido distinguido como “o primeiro” Centro Europeu de Excelência em Treino e Ensino da Anestesiologia na Península Ibérica.



A acreditação internacional foi-lhe atribuída pela Sociedade Europeia de Anestesiologia e pelo European Board of Anaesthesiology, depois de uma visita recentemente efetuada àquele centro hospitalar.



“Após a análise e estudo dos resultados recolhidos, aquele prestigiado organismo internacional deliberou reconhecer o serviço do CHP, dignificando a medicina portuguesa e os profissionais envolvidos”, disse à Lusa Jorge Marvão, do Serviço de Anestesiologia daquele centro hospitalar.



O CHP engloba o Hospital de Santo António, a Maternidade Júlio Dinis, o antigo Hospital Especializado de Crianças Maria Pia e o Hospital Joaquim Urbano.



Assumindo-se como “o primeiro centro de excelência” acreditado em Portugal, o Serviço de Anestesiologia do CHP junta-se a um grupo restrito de 15 hospitais em toda a Europa.



A visita que conduziu à acreditação deste serviço teve lugar em setembro último, tendo sido recentemente conhecidos os resultados e publicado o reconhecimento internacional.



Atualmente, o Serviço de Anestesiologia do CHP é constituído por 73 médicos especialistas e 34 internos em formação específica, sendo procurado por “um grande número de médicos internos de outros hospitais (mais de 20 todos os anos) para a realização dos mais diversos estágios”, referiu Jorge Marvão.



Esta distinção, tutelada pelo Programa de Acreditação em Treino, tem por objetivo promover e harmonizar o treino dos futuros médicos anestesiologistas, ao mesmo tempo que valida a qualidade dos cuidados anestésicos prestados, no enquadramento da sua formação.



A avaliação do Serviço de Anestesiologia do CHP foi feita por um júri internacional que teve em conta diversos parâmetros, como as instalações, a prática anestésica, os planos de ensino pós-graduado, a ligação ao ensino pré-graduado e à Universidade, bem como a capacidade de investigação.



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários