Alguns medicamentos sem receita vão ser vendidos apenas nas farmácias

Ministério da Saúde espera promover maior acesso sem descurar a segurança nem aumentar riscos
7 de junho de 2013 - 13h43



O ministro da Saúde, Paulo Macedo, anunciou hoje que o Governo está a preparar uma nova classificação de Medicamentos Não Sujeitos a Receita Médica (MNSRM) de dispensa única nas farmácias.



Paulo Macedo falava na 49ª Reunião Anual da Associação Europeia de Medicamentos de Venda Livre, que decorre em Lisboa, durante a qual enumerou algumas das medidas que revelam o compromisso do Governo em aumentar o leque das escolhas permitidas aos cidadãos na compra de medicamentos.



Uma das medidas é a criação de uma lista de MNSRM que apenas poderão ser vendidos em farmácias, através da qual o Ministério da Saúde espera promover um maior acesso sem descurar a segurança nem aumentar o risco do seu uso incorreto.



Esta medida é aplaudida pela Ordem dos Farmacêuticos que defende “há muito” a consagração legal da chamada “terceira lista” de MNSRM.



“O conjunto de medicamentos disponíveis em Portugal fora das farmácias tem vindo a alargar-se muito significativamente e inclui fármacos de uso prolongado ou que contêm substâncias ativas que, pela sua natureza, perfil de segurança ou pelas suas indicações terapêuticas, exigem aconselhamento e acompanhamento farmacêutico”, lê-se num comunicado deste organismo.



A Ordem concorda com o projeto – do qual teve conhecimento através do secretário de Estado da Saúde que o submeteu à apreciação deste organismo – e lembra que “entre os 12 Estados -membros (do total de 27) em que os MNSRM estão disponíveis fora das farmácias, somente em Portugal, Itália, Bulgária e Roménia ainda não está instituída uma terceira lista”.



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários