Airbag salva vidas, mas também pode causar lesões cardíacas graves

Se o condutor ou passageiro não usar cinto de segurança o risco de ter uma lesão cardíaca provocada pelo airbag num acidente aumenta.

Os autores de um estudo sobre os efeitos secundários do airbag alertam cardiologistas e outros profissionais de saúde sobre potenciais "lesões cardíacas ocultas" causadas pela abertura do airbag frontal de automóveis em caso de colisão.

Apesar dos airbags salvarem vidas e reduzirem ferimentos, também podem causar lesões e mortes de origem cardíaca e pulmonar, especialmente se o condutor ou passageiro não estiver a usar cinto de segurança, de acordo com o estudo publicado em janeiro de 2014 no Canadian Journal of Cardiology.

"Lesões cardíacas podem acontecer após a abertura do airbag, mesmo quando não há lesões visíveis no momento da apresentação no hospital e isso pode incluir lesões cardíacas graves", diz o autor principal do estudo, Rami Khouzam, da University of Tennessee Health Science Center, nos Estados Unidos.

De acordo com a investigação, os principais tipos de lesões cardiovasculares são disseção da artéria aorta, lesão das válvulas cardíacas, rutura do átrio direito, enfarte do miocárdio, hemopericárdio (acumulação de sangue na membrana em torno do coração) e tamponamento cardíaco.

"As pessoas precisam de estar cientes de que sentar-se a uma distância menor do que 25 centímetros de onde está localizado um airbag aumenta o risco de lesões, além disso, é necessário utilizar o cinto de segurança", conclui Khouzam.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários