Administrador de hospital quis saber se era mais barato amputar perna ou pôr prótese

Um elemento da administração do hospital Amadora-Sintra questionou um médico sobre qual o procedimento mais barato entre a amputação e colocação de uma prótese para salvar a perna a um doente, segundo uma denúncia feita à Ordem dos Médicos.
créditos: MARIO CRUZ / LUSA

Num encontro com jornalistas hoje em Lisboa, o bastonário José Manuel Silva adiantou que a carta que recebeu com esta denúncia já foi enviada para a Inspeção-geral das Atividades em Saúde e para a Provedoria de Justiça.

O médico do hospital Fernando Fonseca (Amadora-Sintra) entregou uma participação escrita à Ordem na qual relatava que um membro da administração da unidade hospitalar lhe tinha perguntado qual o procedimento que sairia mais barato: amputar uma perna ou colocar uma prótese num determinado doente.

Esta situação foi descrita aos jornalistas no seguimento das preocupações demonstradas pela Ordem em relação ao Amadora-Sintra, nomeadamente sobre o serviço de radiologia.

O bastonário revelou que o hospital ficou sem radiologia de intervenção porque o único médico especialista foi dispensado e acabou por emigrar. Além disso, a Ordem refere ainda que não há radiologista na urgência à noite e que os equipamentos da unidade estão obsoletos.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários