Enfermeiros portugueses no Reino Unido aumentaram 500 por cento

O número de enfermeiros portugueses que está a emigrar para o Reino Unido aumentou 500 por cento em quatro anos, entre 2009 e 2013, disse a investigadora Cláudia Pereira, numa conferência em Lisboa.
créditos: MARIO CRUZ/LUSA

À margem da conferência “Vidas em movimento: migrações, mobilidades e turismo”, organizada pelo Centro de Investigação e Estudos de Sociologia (CIES) do ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa, a investigadora considerou que esse aumento “é imenso”.

Em 2010, registaram-se na Ordem dos Enfermeiros em Inglaterra 250 enfermeiros portugueses para trabalhar, número que aumentou para 1.211 em 2013.

Cláudia Pereira apresentou a comunicação “Portugueses qualificados em Londres: o caso dos enfermeiros”, reconhecendo que estes profissionais “são um caso muito específico”.

Os enfermeiros “são o único caso” em que as pessoas partem “com todo o processo já tratado desde Portugal, a seleção, a candidatura, a equivalência, o alojamento”, referiu. Mas e emigração portuguesa no Reino Unido continua a ser “muito binária”, frisou.

Maioria dos emigrantes ainda pouco qualificados

“A maior parte da emigração que vai para o Reino Unido ainda é pouco qualificada (…) ou com menos qualificações, pessoas que têm como nível máximo o 12.º ano”, disse.

“Mas depois também há uma parte significativa de pessoas muito qualificadas”, acrescentou, confirmando que “muitas” delas começam a trabalhar em restaurantes, em Londres, ou na agricultura e na pecuária, fora de Londres.

Comentários