A história de Paul e de como ele perdeu a memória depois de um banho de água fria no mar

Paul Boulding estava de férias na Croácia e tomava banho no mar com a mulher, Kirsty, quando algo de muito estranho aconteceu: uma amnésia temporária.
créditos: Pixabay

Ao sair da água, Paul Boulding comentou: "Não sei onde estou, não sei o que está a acontecer e não sei porque estamos aqui", recorda à BBC. Naquele momento tinha-se esquecido de tudo. Até de quem era.

Kirsty Boulding achou que ele estaria na brincadeira. Mas depois percebeu que não. Algo de sério tinha acabado de acontecer. "Para mim foi um choque. Aconteceu de repente e ele não sabia o que se estava a passar à sua volta", disse Kirsty. "Começa-se a pensar em tudo. A primeira coisa que pensei é que ele estava a ter um acidente vascular cerebral, mas não tinha outros sintomas", afirmou a mulher.

"Cheguei a pensar que também poderia ser um tipo devastador de demência, porque registaram-se duas etapas: inicialmente ele não sabia onde estava. Depois, percebi que ele só tinha perdido a memória dos últimos dez dias", recorda. Foi então que, a meio da tarde, Paul perguntou a Kirsty: "E aquela caminhada que íamos dar?"

Foi nesse momento que o quadro se reverteu. O casal tinha falado sobre esse passeio no dia anterior. Aos poucos, Paul começou a lembrar-se do que tinham feito durante os dez dias em que estavam na Croácia, mas a memória do que aconteceu no período de seis horas antes do mergulho, entre a metade da manhã e meio da tarde, nunca mais voltou. Até hoje, há essa lacuna na memória.

Ataque de amnésia

"O que Paul descreveu é ​​um exemplo clássico de amnésia global transitória", explica Adam Zeman, professor de Neurologia Cognitiva e Comportamental da Universidade de Exeter, na Inglaterra.

Trata-se da perda súbita, temporária e quase total de memória de curto prazo quando esta não está ligada a outras condições neurológicas comuns, como um acidente vascular cerebral ou crises de epilepsia. Acredita-se que o que ocorre durante esses ataques é que "o hipocampo, parte do cérebro envolvida na fixação e consolidação de memória de curto prazo, é desligado por um período de várias horas". "Por isso, é impossível armazenar novas memórias durante esses episódios e também há um impacto sobre as memórias mais recentes", explica Zeman à referida radiotelevisão britânica.

Veja ainda: 22 doenças no mínimo estranhas

Comentários