Os suplementos de soro de leite são (mesmo) um bom aliado da prática desportiva?

São muitos os atletas que os tomam. Fernando Mata Ordóñez, especialista em nutrição desportiva e diretor-geral da NutriScience Espanha, esclarece a dúvida.

A proteína de soro de leite é um dos suplementos alimentares mais vendidos em todo o mundo. Muitos desportistas ingerem-na nos dias de treino para aumentar a massa muscular e melhorar o desempenho desportivo. Mas, apesar do seu êxito internacional, será que esta é (mesmo) um bom aliado da prática desportiva como nos levam muitas vezes a crer?

«A proteína mais estudada até agora e com grande contribuição para a saúde e rendimento é a do soro de leite», confirma Fernando Mata Ordóñez. «O leite tem duas frações de proteína, as caseínas (ricas em glutamina mas lentas quanto à digestão e fornecimento de aminoácidos para a corrente sanguínea) e as proteínas do soro», explica o especialista em nutrição desportiva.

Estas são «de rápida digestão e absorção e com elevado teor de leucina, um aminoácido importante para o crescimento muscular», afirma o também diretor-geral da NutriScience Espanha. «Estas proteínas poderão potenciar os ganhos de massa muscular e ajudar a manter a massa magra em programas de perda de gordura», acrescenta.

Além disso, também favorecem o aumento da produção de um dos antioxidantes mais importantes, a glutationa. Para quem é vegetariano ou tem alguma sensibilidade às proteínas do soro, há alternativas de origem vegetal, como a proteína do arroz, embora tenha menor teor de leucina e não induza o mesmo aumento de glutationa», considera Fernando Mata Ordóñez.

Texto: Nazaré Tocha com edição digital de Luis Batista Gonçalves e revisão científica de Pedro Bastos (mestre em nutrição humana, professor assistente da Escola Superior de Rio Maior e investigador na Faculdade de Medicina da Universidade de Lund, na Suécia)

artigo do parceiro:

Comentários