A modalidade que pratica pode causar incontinência urinária?

Não há dúvida que praticar desporto tem efeitos benéficos para a saúde. No entanto, certas modalidades podem ter efeitos secundários, como é o caso das perdas de urina.

Uma em quatro mulheres pratica regularmente exercício físico e, dessas, cerca de 20% sofre daquilo a que muitos especialistas apelidam de incontinência urinária de esforço. Segundo o estudo «Incontinência urinária e desporto – Associações e percepções», levado a cabo pela marca especializada Tena no início da década de 2010, 32,4% das mulheres incontinentes, contra 16,4% da população em geral, sabe que certos desportos poderão potenciar perdas de urina.

A mesma investigação apurou que cerca de 35% das mulheres com incontinência urinária vivencia este problema durante ou após a prática de uma atividade desportiva. Perante este contratempo, a maioria (69%) opta por usar protecções específicas, 26% recorre a tratamentos médicos e uma minoria (5,6%) afirma ter abandonado a prática desportiva. De facto, as atividades que exigem muito dos músculos abdominais são desaconselhadas a quem sofre de incontinência.

Em causa está a grande pressão exercida por eles sobre os músculos do períneo pode conduzir ao aparecimento de fraquezas urinárias. Isto não significa que deve deixar de praticar desporto. Aliás, 90% das mulheres com incontinência que sofrem perdas de urina durante o desporto praticam-no diariamente ou várias vezes por semana. O segredo está em escolher a modalidade mais adequada para os casos de incontinência urinária.

De acordo com a investigação, os desportos percecionados como mais potenciadores deste problema de saúde são a musculação, a equitação, o ténis, o atletismo e o ciclismo, sendo por isso de evitar. Esta listagem é, de um modo geral, consensual entre não incontinentes e incontinentes, sendo que os últimos acrescentam como perigosos o voleibol, basquetebol e o andebol.

No pólo oposto, ou seja, os desportos vistos como benéficos/não potenciadores de incontinência urinária são o jogging, a dança, a natação, a caminhada, a hidroginástica e o golfe. Confirme, de seguida, quais as modalidades desaconselhadas no caso de quem sofre de incontinência urinária e quais os desportos mais adequados:

Desportos de risco elevado

- Atletismo
- Voleibol, basquetebol e andebol
- Fitness, step e aeróbica
- Equitação
- Maratona

Desportos de risco médio

- Jogging
- Esqui
- Abdominais
- Hidroginástica
- Ténis

Desportos de risco fraco

- Bicicleta
- Natação
- Patinagem
- Golfe
- Alongamentos
- Caminhada

artigo do parceiro:

Comentários