A ginástica terapêutica que está a fazer furor lá fora

Dança, música, meditação e teatro juntam-se no rio abierto, uma modalidade com 50 anos que assenta em três pilares e que faz (muito) bem ao corpo e à mente.

Quando se fala de dança e da Argentina, a primeira coisa que nos vem à cabeça é o tango, mas o país das Pampas está a exportar outra modalidade, que já faz furor em vários países. Chamam-lhe rio abierto, rio aberto em português. Caracteriza-se como uma ginástica emocional, pois treina o corpo e a mente, e está a fazer sucesso em países como o Brasil, França, Alemanha, Suíça, Itália, Espanha, Rússia, Israel, Colômbia, Estados Unidos da América e México.

Esta espécie de ginástica, associa a dança, o teatro, a música e a meditação e tem como objetivo libertar energia positiva, ouvindo o que o corpo e a mente têm para dizer. A ginástica rio abierto assenta em três pilares. O movimento guiado pela música, a meditação e a expressão criativa, tudo em prol das emoções, que muitas pessoas receiam mostrar e vão repetidamente escondendo.

Liberdade de movimento

As aulas são geralmente em grupo, mas também podem ser feitas de forma individual. A grande diferença é que, no primeiro caso, começam geralmente em círculo para que todos se possam observar, mas, antes, liga-se a música, pois é esta que comanda o movimento, juntamente com a meditação, as técnicas de respiração e relaxamento. Depois, é só deixar a mente e o corpo exprimirem-se de forma livre, transformando o stresse em energia.

Em alguns exercícios segue-se o instrutor, noutros são os alunos a liderar, havendo rotatividade. Criada em 1966 por María Adela Palcos, psicóloga, rio abierto é um sistema de técnicas psicocorporais que ajuda a que os praticantes saiam do círculo de medo e desconfiança que parece comandar a vida hoje em dia. Vendo a dança como cura, María Adela Palcos acredita que o movimento do corpo é um instrumento para o crescimento pessoal e para transmitir sensações difíceis de colocar em palavras.

«Com rio abierto, procura-se o bem-estar integral e é recorrente», diz a fundadora, que, durante as aulas, tenta que os alunos consigam encontrar uma solução para um problema que os atormente. Tudo graças à dinâmica corporal, que deixa as ideias fluírem. Esta espécie de ginástica física e mental estimula a parte criativa e liberta os medos, preconceitos e culpas que limitam os indivíduos no quotidiano, como um rio aberto que deixa a água fluir livremente, daí o nome desta modalidade argentina.

Texto: Rita Caetano

artigo do parceiro:

Comentários