Sabe o que acontece ao seu corpo após pintar as unhas?

Um simples verniz que deixa as suas unhas mais bonitas, pode tornar-se em algo mais nocivo devido às substâncias existentes na sua composição.

Ter as mãos bonitas e arranjadas é um dos requisitos, que a maior parte das mulheres não dispensa. Enquanto umas preferem vernizes mais discretos, outras gostam de optar por cores mais vibrantes e com aplicações, mas será que já parou para pensar na quantidade de químicos que estes tem?

A verdade é que o uso excessivo de verniz, pode fazer com que a unha acabe por enfraquecer, se torne mais amarelada e ainda sem brilho, isto porque a sua composição deriva de químicos que acabam por fazer mal às suas unhas.

Como objetivo de tentar perceber o porquê de os vernizes fazerem mal ao seu corpo, foi realizado um estudo que conclui que todas as mulheres que tinham pintado as unhas com verniz, continham sinais de fosfato de trifenila, substância plástica, após dez horas de terem pintado as suas unhas.  A maior parte dos vernizes não tem esta indicação no frasco e por isso, é fundamental que procure mais informações acerca deste, até porque ele é conhecido por afetar as hormonas.

Este não é a única substância nociva a estar presente nos vernizes, também o tolueno já foi encontrado na composição destes e também no leite materno, tratando-se de amamentação. Além de ser uma substância nociva, esta pode impedir o desenvolvimento das crianças e ainda, trazer irritações de pele.

Além destes dois também o metanal, um dos produtos químicos mais utilizados no dia a dia, já foi encontrado em vernizes. Estamos a falar de uma substância cancerígena que quando exposta, pode originar asma ou até mesmo dificuldades a nível respiratório.

Embora algumas marcas de vernizes estejam a tentar controlar este problema, a verdade é que muitas ainda não o fizeram e por isso, tenha cuidado com o verniz que escolher para pintar as suas unhas.

Leia mais: Substâncias tóxicas que anda a usar todos os dias

Leia mais: Estes são os piores alimentos para sua digestão

artigo do parceiro:

Comentários