Bamboo Massage

Também conhecida como massagem do bambu, bamboo-massage ou ainda massagem das sensações, esta é uma arte inovadora que nasceu em França.

A bambuterapia é um tratamento óptimo tanto para o cliente como para o profissional. Cada Bambu funciona como extensão dos dedos do profissional e alcança assim todas as regiões do corpo, pressionando, deslizando, rolando facilmente sem a necessidade de cremes ou óleos, o que não significa que não possam ser usados para acentuar o efeito desejado na massagem.

Esta massagem exerce efeitos magníficos sobre o corpo da(o) cliente, pois associa técnicas da massagem relaxante, modeladora, drenagem linfática, shiatsu, reflexologia e ainda proporciona um lifting facial.

Por esse motivo, trabalha a modelagem, a flacidez, melhora dores musculares, alterações vasculares, promove o relaxamento do corpo e da mente, drena e revitaliza.

Tanto pode ser trabalhado para acalmar, como para energizar e acelerar. Esta massagem pode ser feita em crianças a partir de 10 anos, idosos e grávidas, pois as suas manobras são suaves.

No Inverno ou em zonas mais frias, o ideal será aquecer o bambu na manta térmica. O Bambu aquecido promove ainda mais conforto e relaxamento.

O bambu

Imagine a quantidade de energia que existe no bambu! Quando plantado, pode demorar 5 anos a desenvolver-se (por isso é cheio de energia e armazena muitas informações), mas quando cresce pode chegar a 30 metros de altura.

O Bambu é pouco exigente quanto ao solo e ao clima e existe em grande quantidade e variedade na Colômbia, no Brasil, na China e no Equador.

É um material barato e muito versátil, utilizado para a fabricação de móveis, alimentos, roupas, moradias, instrumentos musicais e agora acessório de massagem. Além disso, possui leveza, resistência à tracção e à compressão e é um vegetal com grande capacidade de absorção de CO2, além de ter um grande rigor estético, com uma superfície lisa e uma cor atractiva.

Contra Indicações

Existem algumas contra-indicações na aplicação da técnica, tais como: infecções agudas, estados febris, hipotensão e hipertensão arterial, período mesntrual, neoplasias, insuficiência cardíaca, trombose e alterações na pele como tumores, feridas, entre outros.

Técnicas associadas

A bambuterapia ficou conhecida como massagem das sensações, porque cada par de rolos e varetas do bambu possui tamanho e espessuras diferentes, causando assim sensações diferenciadas cada vez que o instrumento é trocado.

Como é uma massagem muito abrangente, pode ser associada a uma série de outras técnicas para potencializar ainda mais o efeito desejado, e isso inclui a aromaterapia, a cristaloterapia, as microcorrentes, a terapia das pedras quentes, entre outros.

Tudo é possível para alcançar o resultado, agradando ao máximo a(o) cliente. Por exemplo, a aromaterapia deve ser aplicada respeitando as indicações e contra-indicações, antes da massagem, pois ajuda no deslizar dos bambus e estes ajudam na penetração dos óleos essenciais. Esses óleos podem ainda ser aquecidos antes de aplicados, provocando um maior relaxamento do cliente.

A aromaterapia poderá também ser aplicada através das toalhas aromáticas quentes no final da massagem.

Manobras da Bambuterapia

No primeiro contacto é importante fazer um deslizamento em todo o corpo do cliente, para que ele possa começar a relaxar e criar uma ligação energética com o profissional. É importante fazer também um deslizamento com o bambu por todo corpo do cliente, para que ele comece a sentir o toque suave e crie intimidade com o instrumento da massagem.

A massagem com bambu é criativa, podendo o profissional criar as suas manobras, respeitando sempre a forma correcta na aplicação da pressão, do sentido, da velocidade e da direcção do bambu. A Bambuterapia além de uma massagem é uma arte que transmite sensações maravilhosas.

 

Agradecimentos

Agradecimentos: Tessy Ramos, esteticista/cosmetologista; aromaterapeuta e terapeuta capilar, formada pela Universidade Augusto Motta, Rio de Janeiro, Brasil.

Modelo: Joana Teixeira

Fotografia: Avelino Vieira

artigo do parceiro:

Comentários