A importância da fluoretação

O flúor tem comprovada importância na redução da prevalência e gravidade da cárie.

Atualmente, embora os estudos sejam escassos e pouco consistentes, aceita-se a hipótese de que o controlo da placa bacteriana, apenas com uma escovagem, e sem o uso de um dentífrico adequado não possui efeito preventivo na cárie dentária. Assim o uso de um dentífrico fluoretado aquando da escovagem é, consensualmente, o recomendado.

Para conseguir a tripla ação do flúor (inibir a ação da placa bacteriana, aumentar a resistência dentária ao ataque dos ácidos e potenciar a remineralização) é dada prioridade às aplicações tópicas sob a forma de dentífricos aplicados na escovagem dos dentes, pelo menos, duas vezes por dia (escovagem combinada a bochecho fluoretado).

A profilaxia da cárie dentária inicia-se após a erupção do primeiro dente. Antigamente os profissionais de saúde recomendavam a toma de flúor oral a crianças dos 6 meses até aos 16 anos.

No entanto, e para evitar a potencial toxicidade dos fluoretos, atualmente a recomendação de flúor oral depende de uma prévia avaliação personalizada da ingestão diária da criança e a suplementação oral apresenta-se às crianças com > 3 anos que apresentem um alto risco à cárie dentária.

Os cosméticos destinados a serem aplicados nos dentes ou nas mucosas da cavidade oral contêm obrigatoriamente uma concentração de fluoretos inferior a 0,15% ou 1500 ppm (em flúor), mesmo em caso de mistura com outros compostos de flúor autorizados.

Todos os dentífricos com fluoretos e utilizados para a profilaxia da cárie dentária em concentrações superiores são classificados como medicamentos e encontram-se disponíveis nas formas farmacêuticas de solução oral (gotas), comprimidos, dentífricos, gel dentário e solução para bochecho.

A partir dos 6 anos de idade (idade aproximada em que há controlo suficiente de deglutição para assegurar que não o engole), deve ser feito o bochecho, quinzenal, com uma solução de fluoreto de sódio a 0,2%.

A reter…

a) escovar os dentes, pelo menos, 2 vezes por dia, com um dentífrico fluoretado de 1000 – 1500 ppm;

b) às crianças com > 3 anos em alto risco de desenvolver cáries e aos adultos com dificuldade em escovar e bochechar o médico poderá indicar a toma oral de suplementação de flúor;

c) a partir dos 6 anos, deve ser feito o bochecho quinzenal com solução de fluoreto de sódio a 0,2%.

Saiba mais no site das Farmácias Portuguesas

 

artigo do parceiro:

Comentários