Chanfana de cabra

cobrir a carne. Coloca-se o preparado dentro da panela de pressão e deixa-se cozer cerca de 1 hora se fôr carne de cabra, se fôr de borrego, terá que estar menos tempo. Convém ir abrindo e vendo se a carne já está tenra. Quando a carne está tenra, mas não demasiado, passa-se o preaparado para uma assadeira de barro e leva-se ao forno para acabar de cozer e ganhar côr. Serve-se com batata cozida e pão saloio torrado. (Tipo pão alentejano ou sêmea) Receita original como está no livro: Corta-se a carne em bocados, que se colocam num tacho de barro preto de Molelos. Juntam-se todos os ingredientes citados, à excepção do vinho, que apenas deve ser o suficiente para cobrir a carne. Como norma, tendo o forno de pão, aquece-se este como se fosse para cozer broa de milho, isto é, bastante forte. Introduz-se a caçoila tapada e « esquece-se» até o forno esfriar, o que leva entre 4 a 5 horas. A meio deste tempo, convém verificar se é necessário adicionar mais vinho. Não se dispondo de um forno de pão, coze-se a chanfana no fogão, que deverá ser aquecido até ao máximo da sua potência meia hora antes de se introduzir o preparado. Antes de comer aquece-se bem a chanfana e serve-se na caçoila em que cozeu, com batatas cozidas em água e sal à parte. *Para este prato, mais conhecido por «chanfana», mas que também se dá o nome de «lampantana», e que é rigorosamente obrigatório em todas as festas e bodas da região da Bairrada, a carne mais indicada é a de cabra, podendo também ser feito com carneiro.
Enviada por Comunidade

Ingredientes

  • Salsa 1 ramo
  • Colorau 1 colher de chá
  • Pimenta 2 colheres de chá
  • Alho 5 dentes
  • Cebola 1
  • Banha 1 colher de sopa
  • Azeite 1 dl
  • Toucinho 150 g
  • Carne de cabra ou de carneiro 3 kg
  • Louro 1/2 folha
  • Sal q.b.
  • Noz-moscada q.b.
  • Vinho tinto da Bairrada 1 a 1,5 l

Preparação

Confeção da receita de acordo com os nossos fogões:
Corta-se a carne em bocados, juntam-se todos os ingredientes citados, à exceção do vinho, que apenas deve ser o suficiente para cobrir a carne. Coloca-se o preparado dentro da panela de pressão e deixa-se cozer cerca de 1 hora (se for carne de cabra, se for de borrego, terá que estar menos tempo).
Convém ir abrindo e vendo se a carne já está tenra. Quando a carne está tenra, mas não demasiado, passa-se o preaparado para uma assadeira de barro e leva-se ao forno para acabar de cozer e ganhar cor. Serve-se com batata cozida e pão saloio torrado (tipo pão alentejano ou sêmea).
Receita original como está no livro:
Corta-se a carne em bocados, que se colocam num tacho de barro preto de Molelos. Juntam-se todos os ingredientes citados, à exceção do vinho, que apenas deve ser o suficiente para cobrir a carne.
Como norma, tendo o forno de pão, aquece-se este como se fosse para cozer broa de milho, isto é, bastante forte. Introduz-se a caçoila tapada e «esquece-se» até o forno esfriar, o que leva entre 4 a 5 horas. A meio deste tempo, convém verificar se é necessário adicionar mais vinho.
Não se dispondo de um forno de pão, coze-se a chanfana no fogão, que deverá ser aquecido até ao máximo da sua potência meia hora antes de se introduzir o preparado.
Antes de comer aquece-se bem a chanfana e serve-se na caçoila em que cozeu, com batatas cozidas em água e sal à parte.

Dicas

Para este prato, mais conhecido por «chanfana», mas que também se dá o nome de «lampantana», e que é rigorosamente obrigatório em todas as festas e bodas da região da Bairrada, a carne mais indicada é a de cabra, podendo também ser feito com carneiro.

Comentários