Vinhos: Adega Mayor foi à Alemanha e voltou com três medalhas de ouro

Os vinhos da Adega Mayor foram premiados, pela quarta vez consecutiva, no concurso Mundus Vini. Da Alemanha, o produtor sediado no Alentejo, chegou com três medalhas de ouro.
créditos: Goncalo Villaverde

O Adega Mayor Seleção Branco 2016 foi premiado com Medalha de Ouro e distinguido como Best of Show Alentejano White no Mundus Vini 2017, evento que avaliou perto de dez mil vinhos internacionais. Um vinho selecionado como um dos melhores do mundo, mas também eleito como o melhor vinho branco da região do Alentejo. Trata-se, de acordo com aquele produtor alentejano de “um vinho elegante e alegre, rico em aromas a frutos tropicais maduros e algumas notas de casca de citrinos. De cor cristalina, revela na boca um exotismo, uma estrutura e persistência surpreendentes. Para a mesa ou para a esplanada, uma companhia bastante versátil”.

Outro dos vinhos Mayores premiado com a Medalha de Ouro foi o Adega Mayor Viognier 2016 e com Medalha de Prata o Adega Mayor Verdelho 2016, dois monocastas que, diz-nos o produtor, ”abrem os sentidos à melodia. Há castas com doze cordas e mil acordes. Cada pedaço de terra tem a sua afinação, cada uva entoa um vento diferente. Os tons da casta enchem a garrafa, numa harmonia dada pelo arranjo das notas que a natureza nos dá”.

Entretanto, o Pai Chão 2013 e o Reserva do Comendador 2013 foram classificados com 91 e 90 pontos na prova de vinhos do Wine Advocate de Robert Parker, cuja prova foi feita pelo crítico americano Mark Squires.

Inaugurada em 2007, a Adega Mayor é o projeto vitivinícola do Grupo Nabeiro, onde a arte do vinho se cruza com a de Siza Vieira. As vinhas estão localizadas na Herdade das Argamassas e Herdade da Godinha, em Campo Maior, no Alentejo.

artigo do parceiro:

Comentários