Livro: Um Jardim caseiro não é só bonito, também é bom para comer

Molho de arónia, tarte de silindra, tempura de flores de acácia. Não se trata aqui de grande cozinha de autor, antes de receitas singelas que podemos produzir a partir de plantas cultivadas e mimadas em nossas casas. O livro “Um Jardim para Comer” explica tudo e dá-nos 60 exemplos para o dia-a-dia.
créditos: Jacarandá Editora

Em “Um Jardim para Comer” (Jacarandá Editora) os autores, Roland Motte e Maryline Miori-Motte, convidam-nos a inaugurar uma nova era, “evoluir para o jardim perfeito que reúne os profissionais dos vegetais e os profissionais das flores”. Na prática, o que este casal nos propõe no presente livro é uma rutura com um conceito há muito assente, o de que o jardim “alimentar”, vulgo a horta, e o jardim ornamental, com as suas flores, deixem de ser entidades separadas e se unam em um só.

Livro: Um Jardim caseiro não é só bonito, também é bom para comer

Algo que o casal Motte bem o sabe pormenorizando, no presente título as características de 60 plantas decorativas que não só alegram o vaso como também o prato em diferentes ocasiões. Medronheiros, borragem, figueiras, beldroegas, alfazema, magnólia, além do recorte elegante da sua folhagem e da beleza das suas flores, proporcionam também o prazer degustativo.

Roland cultiva flores e legumes no seu jardim e no seu terraço em Vosges, França. A mulher, Maryline, testou e degustou todas as receitas que apresentam neste “Um Jardim para Comer”. Todas as propostas culinárias apresentadas assentam na simplicidade, muitas vezes ficando-se pela meia dúzia de ingredientes. O leitor encontra, por exemplo, uma salada de quivis salgada, sorvete de frutos de amelangueiro, geleia de medronho com baunilha, xarope de papoila, tempura de folhas de bordo-japonês, mousse de amora e mesmo manteiga de flor.

Todas as espécies listadas chegam acompanhadas de um guia para o cultivo e manutenção das plantas, tendo sempre em consideração as condições de que dispomos nas nossas casas, varandas, quintais e jardins.

O livro chega aos escaparates com o preço de capa de 12,90 euros.

artigo do parceiro:

Comentários