Lisboa - Petiscar em grande no novo Terreiro do Paço

O Terreiro do Paço, um dos mais emblemáticos espaços lisboetas, ganhou nova vida nos últimos meses com a abertura de restaurantes, esplanadas, quiosques. A reportagem do Sapo Sabores desceu à beira rio para trazer algumas das novidades.

Ver reportagem aqui.

Um destes novos moradores da Praça do Comércio é o restaurante Can the Can. Uma casa que serve pratos à base de anchova, muxama de atum ou choco. Em comum, o facto de todos estes produtos se apresentarem em conserva, casando com massas, saladas ou legumes. Na cozinha, há mão do chefe grego Kleanthis Konstantinidis, mais conhecido por Akis.

No espaço destaca-se o impressionante lustre elaborado com três mil latas de conserva. Um toque de originalidade neste restaurante. O Can The Can está aberto todos os dias, das 9h00 às 24h00 e dispõe de 128 lugares na esplanada e 80 no interior. Em média, a refeição fica entre os 20,00 e 30,00 euros por pessoa.

Não muito longe vamos encontrar o Quiosque da Ginginha. Um negócio que nasceu na Calçada do Carmo nos anos de 1930. Recuperado desde outubro de 2011 pelo empresário Jorge Rosmaninho, chegou-se ao rio (sem perder a sua morada habitual), e conquistou o Terreiro do Paço.

No quiosque, para além da ginginha, há licores, groselhas, capilé, mazagrã. Os preços variam entre o 1,35 euros e os 3,00 euros. Bom mesmo, é em certos casos o cliente poder encher o copo duas vezes, sem pagar mais. O quiosque está aberto, todos os dias, entre as 11h00 e as 24h00. À sexta e sábado abre das 12h00 às 2h00. Ao domingo, das 12h00 às 0h00.

Também frente ao rio, na Ribeira das Naus, abriu em Maio de 2013 o quiosque/esplanada do restaurante Sea Me. Apesar de recente este espaço já se encontra na rota dos apreciadores de petiscos com gosto a mar. No Sea Me provamos um hambúrguer de salmão e choco em caco de alfarroba, uma sopa de peixe apuradinha. Mais leve, há empadas, hot dogs de marisco e algumas saladas.

artigo do parceiro:

Comentários