A “maçã de bolso” que já vendeu um milhão de embalagens

Estes snacks de maçã desidratada são produzidos a partir de finas fatias de fruta portuguesa. Chegam ao mercado sob a designação Fruut. Uma “Maçã de bolso” que, em pouco mais de um ano, vendeu um milhão de embalagens, aproveitando quatro milhões de maçãs de calibre reduzido. Contas feitas são 500 toneladas de fruta.

100% português, 100% natural e 100% saudável, os snacks de maçã desidratada Fruut são produzidos a partir de finas fatias de fruta, isentos de glúten, sem adição de açúcar, gordura ou conservantes. Estes pedacinhos de fruta proveniente da Quinta de Vilar (Viseu), produtora de fruta há mais de 40 anos, podem ser consumidos como aperitivo, snack, acompanhamento ou sobremesa.

De acordo com a POMAR, marca responsável por este produto, este “pode ser consumido por celíacos, diabéticos e doentes cardiovasculares”.

Um consumo alargado em grande parte explicado pela natureza da produção. Trata-se de pura maçã, desidratada através de um processo desenvolvido em parceria com a Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica. Uma tecnologia que reduz o teor de humidade da fruta para apenas 2%. Em resultado há uma intensificação do sabor.

Fruut apresenta-se no mercado em três sabores, “Canela Exótica” (maçã Royal Gala com adição de canela), “Verde Intenso” (maçãs Granny Smith) e “Vermelho Doce” (maçã Royal Gala).

Os pacotinhos (de 20g ou 60 g) para além da presença em lojas e grandes superfícies podem ser adquiridos on-line no site da iniciativa.

Nos próximos meses a Fruut lançará cinco novos sabores e instalará uma nova linha de produção, com capacidade para 8 milhões de embalagens por ano.

A Fruut teve um parecer bastante favorável da Associação Portuguesa dos Nutricionistas.

artigo do parceiro:

Comentários