Quatro chefes internacionais recriam Salada César com resultados surpreendentes

A salada César, criada por um chefe Italiano no México, viajou por todo o mundo pelas mãos de quatro chefes que a reinterpretaram e deram o seu toque pessoal. Os resultados surpreendem. Há uma salada com restos, outra com carne maturada, uma outra com sabor a Pacífico e uma que recusa artificialismos. Temos as quatro receitas.

“Reinventar um clássico” é um episódio bónus do documentário Saborologia, sobre como elevar o sabor a outro nível, produzido pela AEG e composto por quatro episódios (“Origem”, “Frio”, “Quente” e “Experiência”). A série convida os espetadores a embarcar numa viagem gastronómica pelo mundo para conhecer os principais especialistas em inovação gastronómica e culinária. O objetivo é atingir resultados na cozinha que sejam, ao mesmo tempo, multissensoriais, sustentáveis, nutricionais e saborosos.

Agora, em “Reinventar um clássico” encontramos quatro especialistas mundiais que aceitaram o desafio de reinventar a salada César, mas com resultados muito diferentes. De recorsar que este é um verdadeiro clássico com uma história que remonta ao México em 1924, quando, de acordo com a lenda, o chefe Italiano Caesar Cardini, criou o futuro clássico como capricho e o serviu aos seus amigos. Rapidamente se tornou num prato popular e, segundo consta, terá sido o seu irmão, Alex Cardini, que mais tarde acrescentou anchovas à receita.

“A ligação ao Oceano Pacífico” Catalina Vélez é uma das chefes latino-americanas mais influentes a nível mundial. Após ter investigado a fundo a gastronomia tradicional colombiana, Vélez descobriu que o vapor era o principal ingrediente para alcançar um sabor excecional. No episódioReinventar um clássico”, apresenta a sua versão da salada César que contém coentros, broa de milho e queijo paipa colombiano, entre outros ingredientes. Chamou-lhe “Salada César do Pacífico”.

Salada Caesar do Pacífico

“Quando os ingredientes têm sabor, não é necessário fazer muito mais” Mark Schatzker é o autor canadiano do livro “The Dorito Effect”, que explorou o impacto dos sabores artificiais nos nossos hábitos alimentares. A sua interpretação da Salada César assenta nos sabores não-artificiais e nos ingredientes verdes, dando menor importância ao molho. A sua versão intitula-se “Salada de Sabor Genuíno”.

Sala Caesar de sabor genuíno

“Queremos inspirar as pessoas a pensar no que podem fazer com pão velho” Culinary Misfits é uma dupla residente em Berlim, que luta contra o desperdício de frutas e legumes apenas por não se enquadrarem dentro dos padrões estéticos estabelecidos. Ao criar a sua salada César, intitulada “Salada César de restos”, o tahini desempenha um papel importante no molho e o frango é substituído por beterraba.

Salada Caesar de restos

“Não gosto de frango” Ludwig Maurer, o chefe alemão e criador de gado da raça Wagyu, criou uma salada César não convencional e artesanal onde o Bife do Lombo Wagyu desempenha o papel principal, acompanhado de chicória, parmesão e mostarda bávara. Conheça a "Salada César Maturada" de Ludwig Maure neste episódio da Saborologia.

Salada Caesar maturada

Saborologia atingiu uma audiência de mais de 25 milhões de espetadores e foi exibido em festivais de cinema e gastronomia em todo o mundo desde o seu lançamento em Maio de 2016.

A equipa do documentário viajou por diversos destinos durante mais de oito meses, procurando ideias dos principais especialistas em sabor. Para mencionar apenas alguns nomes, a equipa reuniu-se com "o pai da gastronomia molecular" Hervé This que inventou "o ovo perfeito", Tristram Stuart, que quer mudar a atitude da sociedade em relação ao desperdício de alimentos, e o famoso Chefe Instagrammer Jacques la Merde que faz belas criações de pratos com comida da estação de gasolina mais próxima. Estes especialistas têm backrounds vastos e possuem conhecimento especializado em diferentes campos, mas estão unidos em torno de sua insaciável curiosidade sobre o sabor.

A série, disponível no YouTube e no site da AEG, é produzida pela House of Radon e alcançou mais de 25 milhões de espectadores. Veja, aqui, "Reinventar um Clássico"

artigo do parceiro:

Comentários