O novo restaurante japonês que não quer ser (apenas) conhecido pelo sushi

Com a assinatura e influência do chef Paulo Morais, Tsubaki, o novo estabelecimento de restauração do Turim Saldanha Hotel, aposta na diferenciação

Tem nome de flor, é um dos mais novos restaurantes de cozinha japonesa de Lisboa, mas não quer ser conhecido apenas pelo sushi, apostando noutras especialidades desta gastronomia para atrair apreciadores da verdadeira culinária nipónica. Aberto com a supervisão, a assinatura e a influência do chef Paulo Morais, um dos mais reputados sushimen nacionais, anteriormente à frente do restaurante Umai, no Chiado, o novo restaurante Tsubaki situa-se no Turim Saldanha Hotel, uma das 12 unidades do Grupo Turim Hotels, que há muito que tinha a ambição de abrir um restaurante japonês.

«Um espaço ímpar, inspirado na natureza, com uma decoração trendy da autoria da decoradora Ana Rita Soares, onde a aposta se centra na criação de uma cozinha japonesa contemporânea, sustentada na simplicidade e na frescura dos sabores, que não se resumem somente ao sushi. Trata-se, por isso, de um conceito diferenciador de restaurante japonês que pretende conquistar e proporcionar a todos uma experiência única», explica a empresa em comunicado. «Apesar de japonês, o nome do restaurante tem um grau de portugalidade evidente que se reflete no próprio nome, uma vez que tsubaki significa camélia», pode ler-se ainda no documento.

«Acreditando que foram os portugueses a introduzirem esta planta, originária do Japão, em 1543 no mundo Ocidental, esta foi a designação escolhida para este novo espaço», justificam ainda os investidores. Paulo Morais avança uma outra razão. «Eu sou fã de banda desenhada anime e existem muitas personagens chamadas Tsubaki», justifica o chef, que numa primeira fase aposta numa carta «muito simples», como a descreve. «Vamos ter sempre uma sugestão mensal», promete ainda o cozinheiro que idealizou todo o conceito do estabelecimento.

O restaurante, que tem capacidade para 50 pessoas e está aberto todos os dias da semana entre as 12h00 e as 15h00 para almoço e entre as 19h00 e as 23h00 para jantar, abrindo ao fim de semana apenas para jantares. Os preços dos pratos, que privilegiam os produtos da época, oscilam, em média, entre os 15 € e os 25 € por pessoa. Apesar do acompanhamento e da consultoria de Paulo Morais, a gestão diária da cozinha é assegurada pelo chef Luís Almeida.

Estas são algumas das especialidades que pode degustar neste restaurante:

- Yaki Hotategai (Espetada de vieiras grelhadas com ar do mar)

- Horenso no Gomaae (Espinafres com molho de sésamo)

- Gyu niku tataki (Novilho braseado com molho ponzu especial)

Texto: Luis Batista Gonçalves 

artigo do parceiro:

Comentários