Nutricionistas desafiam-nos a tornar os rótulos alimentares mais simples

Até que ponto os rótulos alimentares são um elemento facilitador das nossas compras? Que soluções mais eficazes podemos encontrar neste contexto? Estas são perguntas às quais procura responder um estudo aberto a todos nós. O objetivo é termos no futuro rótulos de leitura mais imediata, promotores de melhores escolhas alimentares.
créditos: Sabores

Vivemos numa sociedade onde açucares e gorduras se tornaram fortes aliados dos lineares das grandes superfícies, algumas vezes escondidos, outras dissimulados sob designações enganadoras, outras ainda (e também) em formatos de embalagens apelativos a miúdos e graúdos. Um labirinto nutricional de comida processada e industrial, pejado de perigos para a saúde. Neste contexto é importante um mapa que sinalize o caminho para melhores escolhas alimentares.

Neste âmbito, os rótulos podem ser fortes aliados numa decisão de compra mais racional. Mas, será que atingem essa meta se considerarmos variáveis como a falta de tempo para nos determos em cada embalagem de bem alimentar que adquirimos?

Como forma de no futuro vermos facilitadas as visitas ao supermercado, a Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril, através do Mestrado em Qualidade, está a desenvolver um estudo para encontrar uma estratégia mais clara e eficiente na rotulagem apresentada ao consumidor. O estudo acessível AQUI pede apenas alguns minutos do nosso tempo e apresenta-se como uma forma de todos nós, com a nossa opinião, contribuirmos para encontramos nos rótulos um elemento facilitador e alcançarmos uma escolha mais informada.

Mais e boa informação nutricional pode significar a diferença entre o aparecimento/agravamento, ou não, de patologias como obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares, doenças crónicas transmissíveis.

De acordo com os promotores deste estudo, o questionário garante o anonimato e todos os dados recolhidos são utilizados unicamente para fins académicos

artigo do parceiro:

Comentários