Lisboa – Três grandes vinhos à prova e com descontos na Wine o´Clock

A 23 e 24 de janeiro a loja Wine o´Clock de Lisboa está a convidar todos os interessados para uma prova descontraída de três vinhos, brancos e tintos. À prova, entre as 14h00 e as 20h00 vão estar o Monte Cascas Colheita Verde 2013, Quinta do Pinto Touriga Nacional 2010, Rufo 2011.

O convite é extensível a todos quantos queiram passar pela Rua Joshua Benoliel, 2B, na capital, para provar os três néctares em destaque. Isto com a garantia de um desconto na aquisição dos produtos em prova. Neste 23 e 24 de janeiro, a Wine o´Clock sugere:

Monte Cascas Colheita Verde 2013 (branco)

Casca Wines é o projeto pessoal de dois enólogos. A iniciativa que começou na região de Colares, não tem vinhas nem adega própria. Os dois enólogos vão fazendo um trabalho de exploração pelo país até encontrarem as vinhas que mais lhes convêm para produzirem os vinhos que ambicionam. A escolha das vinhas, está relacionada com vários critérios, mas o mais importante é que o carácter da região seja espelhado no vinho que dali sair.

De aroma intenso e citrino com notas de groselheira e de fruta de caroço Na boca é suculento com fruta vibrante, limão espremido, melão e meloa, num estilo firme e limpo, com um final longo e persistente

A enologia a cargo de Hélder Cunha e Frederico Gomes

Quinta do Pinto Touriga Nacional 2010 (tinto)

A missão do projeto vitivinícola Quinta do Pinto é engarrafar terroir e oferecer vinhos com qualidade diferenciada e muito elevada, a preço não especulativo, que seja geradora de confiança na marca a longo prazo.

Com notas intensas de violetas, juntamente com traços de frutos silvestres como groselha e amora, assim como notas de chocolate e tabaco. Apresenta uma voluptuosa entrada com muito boa textura e taninos elegantes e sedosos. Termina longo e elegante.

A enologia a cargo de Manuel Vieira.

Rufo 2010 (tinto)

Quinta do Vale D. Maria é uma antiquíssima propriedade no coração da Região Demarcada do Douro.

O Rufo nasceu de uma conversa após um jantar com velhos amigos, na qual debatiam como adequar as práticas agrícolas de modo a obter melhores condições ambientais para o crescimento da população da Aleactoris Ruffa (nome científico de uma das espécies de perdiz) no Vale D. Maria.

Divagando a conversa, acabaram  por concordar que Rufo (que significa vermelho em latim) seria um bom nome para um vinho tinto do Douro.

A enologia a cargo de Cristiano van Zeller

Wine o´Clock Lisboa

Tel.: 213 833 237

E-mail: lisboa@wineoclock.com.pt

artigo do parceiro:

Comentários