Lisboa: No Tapisco de Henrique Sá Pessoa o vermute não é aperitivo é o principal

No Príncipe Real, há um mundo de vermutes por descobrir. Quem passa pelo Tapisco, na Rua D. Pedro V, depara-se com uma janela aberta para o universo desta bebida frequentemente vista como um aperitivo mas que, aos poucos, começa a ganhar o seu lugar na mesa, à hora da refeição.

No mais recente espaço do chefe Henrique Sá Pessoa, a funcionar desde o final de Fevereiro, o vermute é a bebida de eleição, acompanhando harmoniosamente todas as tapas e os petiscos que constam no cardápio do restaurante também inspirado nas vermuterias da vizinha Espanha. Por lá, este vinho de infusão de ervas aromáticas é sobejamente conhecido e vive um momento áureo.

Lisboa: No Tapisco de Henrique Sá Pessoa o vermute não é aperitivo é o principal

“Os portugueses estão a começar a apreciar”, conta Nuno Nunes, responsável pela carta de bebidas do Tapisco. Aos menos familiarizados com esta bebida, o bartender prontifica-se a explicar as diferenças entre os vermutes disponíveis, para que não restem dúvidas na hora de escolher um de quatro: o Nordesía, "feito com uva mencía macerada com raízes e flores, tem um toque mais doce”; já o Yzaguirre "tem um travo mais picante e nasce de uma mistura de quase 80 ervas e especiarias”; recentemente chegados ao Tapisco, há ainda o Petroni Vermello “feito com uvas do Alvarinho, muito fresco, floral e frutado, perfeito para beber com gelo e laranja" e o 7 Mares Branco “100% português, feito com produtos naturais e técnicas artesanais”.

Servido simples e fresco, de preferência com duas pedras de gelo, o vermute é o aperitivo que melhor abre o apetite para um repasto que, no Tapisco, pode muito bem começar com um Pan con tomate, seguido da La Bomba de Lisboa. Ao todo, contam-se oito propostas de vermutes — três Nordesía, três Yzaguirre, um Petroni e um 7 Mares — servidos a copo nas variedades blancorojo e tinto (preços entre 4,00 euros e 5,00 euros).

Lisboa: No Tapisco de Henrique Sá Pessoa o vermute não é aperitivo é o principal

Mas os que preferirem degustar esta bebida sob a forma de cocktail também vão encontrar no Tapisco propostas. Aos clássicos Old Fashion e Negroni juntam-se três cocktails de assinatura,  ideais para serem bebidos à refeição. Os mais indecisos que não temam, pois a equipa dá sugestões certeiras na hora de combinar tapas, petiscos e cocktails. O Monarca (10,00 euros), por exemplo, acompanha muito bem uma Tábua de enchidos ibéricos; já o Príncipe (10,00 euros), um dos cocktails com mais saída, eleva a Esqueixada de bacalao para um outro nível, e o Majestade (10,00 euros) combina bem com a Paella negra com sépia e aioli ou com a Presa de porco ibérico.

O Tapisco funciona todos os dias, das 12h00 às 00h00, e aceita reservas através do site.

Lisboa: No Tapisco de Henrique Sá Pessoa o vermute não é aperitivo é o principal

artigo do parceiro:

Comentários